Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Prestes a completar 90 anos, saiba quem é a mulher mais rica do Brasil

Com 89 anos, a empresária detém um patrimônio avaliado em US$ 6,9 bilhões, isto é, R$ 32,3 bilhões. Em julho, completa nove décadas de vida

atualizado 01/05/2022 9:30

@blairomaggi/Instagram/Reprodução

O dilema “não nasci herdeira” nunca esteve tanto na ponta da língua dos brasileiros. Diante da viralização do meme, vale deixar como conselho que a mulher mais rica do Brasil se esforçou e muito para liderar a lista de bilhões. Alguma vez na vida chegou a pesquisar quem é a personalidade do sexo feminino com o maior patrimônio do solo tupiniquim? Caso palpite Luiza Trajano, a resposta está errada. Lucia Maggi lidera o rol da revista Forbes.

Com 89 anos, a empresária comanda um patrimônio avaliado em US$ 6,9 bilhões, isto é, R$ 32,3 bilhões. A coluna Claudia Meireles tentou entrevistá-la, mas sem sucesso por motivos de discrição. “Neste momento, a família decidiu por se manter mais reservada, em especial dona Lucia, que já está com quase 90 anos e manifestou um desejo de não se expor publicamente”, declara assessoria da Fundação André e Lucia Maggi (Falm).

Lucia Maggi é a brasileira mais rica do país
Primeiros passos

Lucia nasceu em Torres, cidade gaúcha. No próximo dia 20 de julho, ela completa nove décadas de vida. Na juventude, casou-se com André Antônio Maggi. Do matrimônio, o casal teve cinco filhos: Maria de Fátima, Marli, Blairo, Rosângela e Vera Lúcia. Em busca de dar uma guinada em novos projetos, a família se mudou para São Miguel do Iguaçu em 1955. No município paranaense, o casal investiu primeiramente o que tinha no ramo madeireiro.

“André, até aqui vim com você, mas daqui só vou para frente. Voltar, jamais”, disse Lucia ao marido em São Miguel do Iguaçu. Na situação, o empresário pensou em desistir e voltar para o Rio Grande do Sul.

Família Maggi

À procura de retorno financeiro, Lucia e André aplicaram tempo, dinheiro e dedicação na agricultura e pecuária. Na ocasião, a dupla se lançou na produção e comercialização de sementes. Em 1977, o casal fundou a Sementes Maggi, embrião que com o passar dos anos se transformou em uma das maiores exportadoras de soja do planeta, além de ser a razão para a empresária dispor do estandarte de brasileira mais rica na atualidade.

Em 1979, a empresa cruzou a região Sul e se instalou no Centro-Oeste, no caso, no Mato-Grosso, um dos estados com o maior cultivo de soja. Com o crescimento exponencial, a Sementes Maggi mudou de nome duas vezes ao longo da trajetória. Primeiro, recebeu a alcunha de Grupo André Maggi em referência ao sócio-fundador. Em seguida, houve uma compressão das palavras. A companhia passou a ser chamada de Grupo Amaggi.

O casal André e Lucia criaram uma das maiores empresas do Brasil
Grande perda

Em 2001, André Antônio Maggi faleceu. Ele tinha 74 anos e não resistiu a uma parada cardíaca. Com o óbito, Lucia assumiu o posto de acionista majoritária da companhia. Ela não fugiu da missão de comandar a empresa e tocou o barco com maestria. O Grupo Amaggi detém o título de gigante do ramo da soja.

Segundo apuração do UOL Economia, Lucia Baggi não deixou Rondonópolis, cidade mato-grossense. Na empresa, a mulher mais rica do Brasil tem o papel de membro consultivo do conselho de administração do Grupo Amaggi. Entre as atividades favoritas da octogenária, está aproveitar momentos inesquecíveis com a família na companhia dos filhos, netos e bisnetos.

A matriarca da família Maggi ao lado dos cinco filhos
Determinação no DNA

Dona de um sorriso largo, Lucia Maggi dispõe de uma saúde de ferro e, sempre que pode, dá opiniões a respeito dos negócios da família. “Viemos para Mato Grosso, em 1977, porque acreditávamos na agricultura, como acreditamos hoje. Esse sempre será o nosso elo forte”, declarou em entrevista ao portal Dinheiro Rural. Determinada, a empresária aprendeu a dirigir aos 44 anos.

“Nunca tive medo de desafios e de criar vínculos com pessoas e lugares”, confessou a mulher mais rica do Brasil e ocupante da 350º colocação no ranking mundial da Forbes.

Em julho, a empresária completa nove décadas de vida
Herdeiro

Mãe de cinco filhos, Lucia continua como uma ótima conselheira. “Nenhum deles toma decisões antes de pedir-lhe a bênção”, escreveu a Dinheiro Rural. De todos os herdeiros, o mais conhecido responde por Blairo Maggi. Ele já atuou como senador e governador do Mato Grosso por dois mandatos, em 2003 e 2007. Também assumiu o cargo de ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento durante a presidência de Michel Temer, em 2016.

Acionista do Grupo Amaggi, Blairo fez um relato sobre a história da companhia. “Eu considero o início da nossa companhia quando meus pais se conheceram e formaram a parceria de dois sem nada, mas com muita determinação e muita vontade”, argumentou o filho de Lucia e André Maggi. A imprensa o define como “o rei da soja”, enquanto a Forbes o considera como “uma das pessoas mais influentes do mundo”.

A personalidade gosta de ficar ao lado da família. Na foto, ela está de mãos dadas com o filho Blairo
Grupo Amaggi

Sucesso no Brasil e no mundo, o Grupo Amaggi expandiu as operações para além do território tupiniquim. Atua em países da América Latina e da Europa, além da China. Com sede em Cuiabá, a companhia assumiu o papel de holding que controla quatro divisões de empresas ligadas ao agronegócio, sem contar o braço filantrópico, sendo a Fundação André e Lucia Maggi (Falm).

Em janeiro, a empresa ocupava a 13ª posição na lista das 100 maiores no ramo do agronegócio do Brasil. A receita da gigante da soja é de R$ 23,51 bilhões, pelos dados da revista Forbes.

Em fotografias, Lucia não esconde o sorriso largo

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Mais lidas
Últimas notícias