PAS/UnB: uma resposta errada, nem sempre, anula uma certa

Será se cautela e canja de galinha, realmente, não fazem mal a ninguém?

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 28/11/2019 20:27

Neste fim de semana, o mês de dezembro dá as boas-vindas aos candidatos que farão as provas do Programa de Avaliação Seriada (PAS), uma das três formas de acesso à Universidade de Brasília (UnB). As outras duas são: o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o vestibular tradicional.

O PAS é um processo seletivo realizado ao longo dos três anos do ensino médio regular. Atualmente, a UnB destina 50% das vagas em todos os cursos aos aprovados pelo Programa. A outra metade das vagas está dividida entre as formas de ingresso: Enem (25%) e vestibular tradicional (25%).

A avaliação em etapas valoriza a aprendizagem escolar, mas não se detém aos conhecimentos isolados nas disciplinas, as provas são interdisciplinares. Para cada etapa há um conjunto de objetos de conhecimento nos quais são sugeridas obras em diversas modalidades, como textos, músicas, filmes, documentários, pinturas, obras teatrais, entre outras.

No domingo (01/12/2019), às 13 horas, serão aplicadas as provas aos candidatos inscritos em cada uma das três etapas do programa. Cada fase tem uma prova de conhecimentos — dividida em duas partes — e uma redação em Língua Portuguesa.

A duração máxima para a realização do conjunto de provas é de 5 horas, já incluído o tempo destinado ao preenchimento do caderno de respostas e à transcrição do texto da redação para a folha definitiva e à identificação do candidato, que serão feitos no decorrer das provas.

Nesta reta final, alunos se dividem entre as obrigações da escola e a preparação para o processo seletivo. Uma das estratégias utilizadas pela estudante do primeiro ano do ensino médio, Giulia Piazzi, foi a de se preparar fazendo as provas antigas do programa. Giulia calcula ter feito entre seis e sete, o que soma um total de 700 itens. Sem contar os simulados do colégio e do cursinho que frequenta.

“Não vejo a hora de chegar logo o dia da prova e de poder aplicar tudo aquilo que treinei. Quero curtir as férias”.

Paulo Perez

No terceiro ano do ensino médio e na última etapa do exame, o candidato Daniel Coser briga por uma das vagas no curso de engenharia mecânica e salienta que a prova do PAS respeita a maturidade do aluno.

Coser se percebe, no momento, mais ciente das regras do jogo do exame e sabe que a preocupação do estudante não deve se limitar aos conteúdos vistos em sala de aula. Confiante, depois da primeira etapa, o estudante passou a fazer mais provas.

“Acho interessante a maneira que o programa respeita o crescimento do candidato. Espero, na terceira etapa, uma prova mais complexa que da primeira. Mas sei que com a habilidade de leitura de provas que desenvolvi ao longo desses anos e, que por ter estudado o padrão de abordagem da banca é possível, muitas vezes, chegar à resposta com uma boa interpretação do item”, conclui.

As provas da primeira etapa têm peso um, as da segunda, peso dois, e as da terceira, três. Elas serão as mesmas para todos os candidatos em cada uma das etapas, independentemente da opção do curso do candidato.

A prova de conhecimentos de cada etapa vale 100 pontos e conterá, na parte um, questões de língua estrangeira (espanhol, francês ou inglês, de acordo com a opção do candidato no ato da inscrição). Na parte dois, as questões são de artes cênicas e visuais, biologia, filosofia, física, geografia, história, língua portuguesa, literatura, matemática, música, química e sociologia.

Somente será permitido o uso de caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente.

A prova de conhecimentos de cada etapa do PAS é composta por itens dos tipos A, B, C e D. Cada item do tipo A deve ser julgado de acordo com o comando a que se refere e terá como resposta certo ou errado.

No cálculo do resultado da prova, ao item do tipo A cuja resposta do candidato coincida com o gabarito oficial definitivo será atribuído o valor positivo +x. A cada item do tipo A cuja resposta do candidato divirja do gabarito oficial definitivo será atribuído o valor negativo -x. Ao item do tipo A deixado em branco ou com dupla marcação no caderno de respostas será atribuído valor igual a zero.

Para os itens do tipo A vale a temida máxima: “uma errada anula uma certa”. Mas cuidado, muita cautela, às vezes nem sempre é a melhor das estratégias nesse tipo de prova.

Quando se fala em estratégia para a prova do PAS, sempre me recordo de uma ex-aluna (excelente aluna e estudante disciplinada) que, ao conferir o gabarito oficial, me procurou comentando que havia errado, somente, quatro itens da prova.

No entanto, para minha tristeza, marcou somente 37 itens do total de 100. Ou seja, utilizou uma postura muito cautelosa frente a uma prova de concorrência. Fez a melhor prova, mas não entregou uma prova para brigar por uma vaga no curso de medicina, com o qual sonhava.

Ela adotou uma estratégia equivocada, pois, em média, a aprovação para o curso de medicina da UnB, via PAS, exige uma pontuação em torno de 60 a 70 pontos por etapa. Ela acabou ficando de fora da disputa. Mas, atenção, não estou aqui convidando você a ser um candidato sem responsabilidade e a marcar todos os itens do exame. Meu convite é para que você avalie a melhor estratégia que adotará. Que seu caminho pela prova te possibilite, ao menos, a chance de brigar por uma das vagas para o curso desejado. Chance que, a aluna ilustrada neste artigo, por exemplo, desperdiçou.

Os itens do tipo B propõem um problema cuja resposta é um número inteiro de 000 a 999. Todos os algarismos — das centenas, das dezenas e das unidades — devem ser obrigatoriamente marcados no caderno de respostas, mesmo que sejam iguais a zero.

Cada item do tipo B deixado em branco ou cuja resposta do candidato divirja do gabarito oficial será atribuído o valor igual a zero. Para esse tipo de item não vale o famoso “uma errada anula uma certa”. O valor atribuído aos itens do tipo B cuja resposta do candidato coincida com o gabarito oficial definitivo é +2x. Para esse tipo de item, mesmo quando não se sabe a resposta, não vale a pena deixar em branco. Chute!

Cada item do tipo C conterá quatro opções de respostas, designadas pelas letras A, B, C e D, das quais apenas uma constituirá o gabarito da questão. O candidato deverá marcar, para cada um desses itens, apenas uma opção no caderno de respostas. Acertou? Então, +2x. Ao errar será atribuído o valor negativo -0,667x. Na dúvida, marque. Ao item do tipo C deixado em branco ou com mais de uma marcação no caderno de respostas será atribuído valor igual a zero.

Finalmente, os itens do tipo D são os de resposta construída, ou seja, itens abertos, com resposta a ser elaborada pelo candidato. No cálculo do resultado da prova será atribuído ao item do tipo D o valor +3x quando a resposta do candidato atender totalmente ao solicitado. A cada resposta que atenda parcialmente ao solicitado será atribuído valor positivo inferior a 3x. Deixou em branco ou sua resposta não atendeu ao solicitado a nota é zero.

Desejo a todos uma excelente prova. Que você consiga render o seu melhor! #vagaseconquista. @pp_pauloperez

SOBRE O AUTOR
Paulo Pérez

Paulo Pérez, conhecido como PP, é professor, com mais de 20 anos de experiência na área da educação (ensino médio e cursinho pré-vestibular)

Últimas notícias