Estelionato: namorada de goleiro pode cumprir 116 anos de prisão

Shay Victorio foi acusada por 118 pessoas de não enviar produtos comprados em uma loja online, onde era sócia com o pai e o ex-marido

Reprodução/ Instagram

atualizado 03/03/2020 10:25

Shay Victorio, nova namorada do goleiro Jean, foi condenada por estelionato e pode ter que cumprir 116 anos de prisão, além do pagamento de multa. As informações são da coluna Leo Dias, do portal UOL.

A influencer, quando ainda sócia de uma empresa de comércio varejista online com o ex-marido e o pai, foi processada e o Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) ouviu 118 pessoas que acusaram o estabelecimento de não entregar as mercadorias compradas.

As investigações contaram com quebra de sigilos fiscais, bancários e e-mails de Shayene Victorio. Apesar da condenação, que a juíza fixa em regime inicial fechado, a namorada do jogador do Atlético-GO pode recorrer em liberdade.

O MPSP enviou, para a coluna, a sentença do caso. No documento, consta que Shay, o pai e o ex-marido foram processados pelos supostos crimes ocorridos entre o ano de 2013 a novembro de 2017 em Sorocaba, interior de São Paulo.

Veja parte da sentença: “Importante acrescentar que restou comprovado que a ré Shayene tinha conhecimento das ilicitudes ocorridas na empresa de sua propriedade, pois, no e-mail trocado entre ela e o advogado Y., tal acusada demonstra claramente sua preocupação em relação ao fato de a empresa estar sem endereço físico, comprovando que tinha ciência acerca da ausência de estoque de mercadorias disponíveis para venda aos consumidores. Some-se a isto o fato de que a vítima X. afirmou que, após não receber a mercadoria adquirida por meio do site “Megazine.net”, entrou em contato com a empresa, via telefone, oportunidade em que foi atendida por uma pessoa de nome Shayene, a qual que informou que o caminhão que estava efetuando a entrega dos bens havia tombado e danificado todos os produtos, razão pela qual necessitavam de um novo prazo de sessenta dias para realizar a entrega dos produtos, no entanto, nunca recebeu a mercadoria”, diz a juíza responsável pelo caso durante a condenação.

Procurado por e-mail pela coluna, o advogado de Shay, Dr. Antônio Carneiro, afirmou que a sentença é “desumana”.

0

Últimas notícias