“Vimos a justiça começando a ser feita”, diz pai do menino Henry Borel

Leniel Borel usou suas redes sociais para comentar os novos detalhes da investigação da Polícia Civil do Rio e do Ministério Público

atualizado 05/05/2021 12:06

Henry Borel Medeiros com o pai, Leniel Borel de Almeida JúniorReprodução redes sociais

Leniel Borel, pai do menino Henry Borel, assassinado em 8 de março, usou suas redes sociais para comentar os novos detalhes da investigação da Polícia Civil do Rio de Janeiro e do Ministério Público. O padrasto e a mãe do garoto – o vereador Dr. Jairinho e a professora Monique Medeiros – foram indiciados pelo crime.

“Henry, hoje vimos a justiça começando a ser feita”, escreveu Leniel.

O pai de Henry ainda mencionou o apoio que está recebendo desde a tragédia. “Deus, obrigado primeiramente pelo filho maravilhoso que me destes. Agradeço por atender nossas orações, não deixar nada encoberto e fazer prevalecer sua justiça”, diz outro trecho da postagem.

O engenheiro finaliza a publicação demonstrando gratidão: “A todos os amigos, família, igreja, muito obrigado pelas orações, palavras de carinho e todo o apoio que temos recebido diariamente. Juntos seremos sempre fortes!”.

Entenda o caso

O menino Henry Borel morreu em 8 de março deste ano, no apartamento onde vivia com a mãe e o padrasto, num condomínio na Barra da Tijuca (RJ).

O laudo cadavérico apontou que o garotinho não havia sofrido acidente doméstico, como sustentavam Jairinho e Monique: a causa da morte foi hemorragia interna e laceração hepática decorrente de ação contundente.

O casal está preso. Na última sexta-feira (30/4), a 16ª DP (Barra da Tijuca) concluiu o inquérito sobre a morte de Henry e indiciou Jairinho e Monique por tortura e homicídio.

0

Últimas notícias