Secretária de Damares sobre coronavírus: “Achei que ia morrer”

Curada da doença, Angela Gandra Martins contou como foram os dias de internação. Ela, que já teve câncer, pensou que não sobreviveria

atualizado 21/04/2020 12:13

A secretária Angela Gandra Martins, da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, contou como foi sua luta para se recuperar do coronavírus. Ela chegou a pensar que morreria. As declarações foram dadas em entrevista à coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo.

“Até o Sábado Santo, achei que fosse morrer. Não vou aguentar, não vou superar”, afirmou. “Já tive câncer, mas nunca havia me sentido assim na minha vida. Uma fadiga intensa, enjoo o tempo inteiro, muita náusea, dor de cabeça”.

A secretária esteve internada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, do qual teve alta na última segunda-feira (20/04). Nesse período, a ministra Damares Alves usou as redes sociais para pedir orações a Angela.

Na entrevista, a secretária foi ponderada ao falar sobre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ela defendeu a importância de manter a economia ativa no país, mas avaliou: “Primeiro temos que pensar na saúde e salvar vidas”.

Angela fez tratamento com azitromicina e hidroxicloroquina. Filha do jurista Ives Gandra Martins, ela conta que o pai, apoiador de Bolsonaro, está preocupado com a “maneira de ser” do presidente: “precisa de circunspecção”, ele prega. A secretária contrapõe: “São estilos diferentes”.

Últimas notícias