Queiroga pede que pessoas com 2ª dose da vacina em atraso busquem postos

O ministro da Saúde usou pronunciamento em cadeia de rádio e TV para prometer que o Brasil "quintuplicará" produção de vacinas

atualizado 28/07/2021 21:49

Reprodução

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fez pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão, na noite desta quinta-feira (28/7), para fazer um apelo, já adiantado pelo colunista Igor Gadelha, do Metrópoles, a quem está com a segunda dose da vacina em atraso: “Peço que busquem os postos de vacinação, pois sua imunização só estará completa após a conclusão do esquema vacinal”.

Queiroga reforçou que toda a população adulta receberá a primeira dose até setembro e a segunda, até dezembro. “Assim, esperamos um controle adequado do caráter pandêmico da Covid-19. Nosso único inimigo é o vírus. Por isso, é importante a união de todos. Seguiremos juntos com respeito às orientações das autoridades sanitárias e à vacinação de nossa população”, completou.

Queiroga também afirmou que, com investimentos de R$ 3,4 bilhões, o país irá “quintuplicar a capacidade de produção de vacinas”. E adiantou: “Destaco, em especial, a celebração do contrato de transferência de tecnologia entre a Fiocruz e a AstraZeneca, que permitirá a produção completamente nacional das vacinas”.

Veja:

O ministro comemorou a ultrapassagem da marca de mais de 100 milhões de pessoas que receberam pelo menos uma dose de vacina contra a enfermidade.

Até esta quarta, 97,65 milhões de pessoas tiveream acesso à primeira dose de um dos imunizantes que exigem duas aplicações e 3,91 milhões receberam a proteção da Janssen, que é de dose única. A soma mostra 101,56 milhões de brasileiros vacinados.

Iniciada em 17 de janeiro, a campanha de imunização contra a Covid-19 tem visto os problemas, como falta de doses, diminuírem, mas ainda há episódios de interrupção do fornecimento. Mesmo assim, a vacinação engrenou nas últimas semanas.

Desde o início da campanha, o Ministério da Saúde distribuiu 175,8 milhões de doses da vacina. As secretarias de Saúde aplicaram 134,6 milhões, entre única, primeira e segunda doses.

Queda nos óbitos

“Com mais de 63% da população adulta vacinada com a primeira dose, registramos uma queda expressiva de 40% no número de casos e óbitos em apenas um mês”, comemorou Queiroga

Últimas notícias