Prefeitos do Rio planejam novos cemitérios por conta da Covid-19

Até o momento, já foram registradas 402 vítimas da doença em todo o estado do Rio de Janeiro

Prefeitos de municípios do Rio de Janeiro tem encomendado novos cemitérios e sepulturas devido ao crescente número de mortos pelo coronavírus no estado. Até o momento, já foram registradas 402 vítimas da doença.

O prefeito da capital, Marcelo Crivella, pretende ceder autorização para exploração de novos cemitérios por empresas. Além disso, o Exército pediu informações ao governo do Rio sobre a possibilidade de sepultamentos em massa. As informações são do jornal O Globo.

Já em Queimados, os donos do cemitério particular Jardim Envida Rio abriram covas extras e pretendem quadruplicar a quantidade por conta do coronavírus, com novas 235 sepulturas. O local tinha jazigos livres antes da chegada da pandemia.

Ao jornal O Globo, o proprietário Adriano Castilho contou que o Ministério Público enviou um ofício questionando a quantidade de mortes por Covid-19. Ele relatou ter informado que uma pessoa foi enterrada com suspeita da doença e outras 50 tinham no registro alguma doença respiratória – o dobro da média.

Em Petrópolis, a prefeitura planeja acionar espaços desativados na cidade caso a pandemia se agrave na região. No caso de Varre-Sai, apesar de não ter registro de casos de Covid-19, não há espaço para novos sepultamentos e a administração avalia comprar um novo terreno.

A prefeitura de Caxias preferiu instalar um contêiner frigorífico para a conservação de 30 corpos.