Santini assume cargo no comitê que prepara entrada do Brasil na OCDE

Exonerado há um ano por voar em avião da FAB, Vicente Santini foi nomeado secretário-executivo da Secretaria-Geral no dia 8

atualizado 19/02/2021 9:44

José Santini e Fernando WandscheerReprodução/Twitter

O novo secretário executivo da Secretaria-Geral da Presidência da República, José Vicente Santini, foi nomeado nesta sexta-feira (19/2) representante da pasta no Comitê Gestor da preparação do pedido de entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), o clube de países ricos do qual o país deseja fazer parte.

Pouco mais de um ano após ser exonerado por voar em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) de forma “completamente imoral”, segundo o próprio presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pontuou à época, Santini foi nomeado para o cargo de secretário executivo da Secretaria-Geral da Presidência no último dia 8.

Em janeiro de 2020, o novo secretário-executivo da Presidência fez uso de um avião da FAB para ir a uma reunião do Fórum Econômico Mundial, na Suíça, e depois seguiu viagem para a Índia. Ele foi demitido quando o caso ganhou repercussão na imprensa.

Em setembro, Santini conseguiu voltar ao governo, nomeado para o cargo de assessor de Ricardo Salles, no Ministério do Meio Ambiente, onde estava até então.

Santini acompanha o novo ministro da SG, Onyx Lorenzoni, que volta a ocupar um gabinete no Palácio do Planalto. Inicialmente ministro da Casa Civil, quando houve o episódio de uso de avião da FAB, Onyx acabou remanejado para o Ministério da Cidadania, onde ficou por cerca de um ano.

No fim da semana passada, o presidente Bolsonaro anunciou trocas na Esplanada e nomeou Onyx para a Secretaria-Geral. O Ministério da Cidadania, por sua vez, foi entregue ao deputado João Roma, do Republicanos, em um aceno ao Centrão.

Ex-número 2 da Casa Civil nomeado

Fernando Wandscheer, outro personagem da polêmica demissão de José Vicente Santini, foi nomeado nesta sexta como secretário de Modernização Institucional e Regional da Secretaria-Geral da Presidência.

Wandscheer também foi demitido por Bolsonaro após o caso de utilização do avião da FAB. No calor da polêmica, ele conduziu Santini ao cargo de assessor especial, o que acabou por irritar o presidente.

As nomeações foram publicadas na edição desta sexta-feira do Diário Oficial da União (DOU). Veja:

0

Últimas notícias