Moro desmente Bolsonaro: “Exoneração na PF não foi a pedido”

Ministro voltou a afirmar que a saída de Valeixo foi um interferência política de Bolsonaro. “Eu não assinei esse decreto”, frisou

atualizado 24/04/2020 12:09

Moro e Jair BolsonaroAndre Borges/Esp. Metrópoles

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, desmentiu o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de que a exoneração do diretor geral da Polícia Federal, Marcelo Valeixo, teria ocorrido “a pedido”.

Durante o pronunciamento em que ele pediu demissão, Moro contou detalhes que ocorreram durante a madrugada desta sexta-feira (24/04”. “Ele [Valeixo] recebeu uma ligação em que a exoneração seria publicada ‘a pedido’ e se concordaria. Ele não teve o que responder”, ironizou.

Moro voltou a afirmar que a saída de Valeixo foi um interferência política de Bolsonaro. “Eu não assinei esse decreto”, frisou.

O ex-juiz pediu demissão do cargo de ministro após a troca no comando da corporação.

Ele destacou que a demissão de Valeixo viola o acordo feito com o presidente Bolsonaro. “Me foi dada carta branca para indicações”, conclui.

Últimas notícias