Carlos Bolsonaro reage à denúncia de Moro: “Camisolão fofoqueiro”

O ex-ministro disse em depoimento à PF que o filho do presidente Jair Bolsonaro fazia parte do "gabinete do ódio" no Palácio do Planalto

atualizado 28/11/2020 11:37

Reprodução/ Twitter

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), reagiu por meio das redes sociais às denuncias feitas pelo ex-ministro da Justiça e de Segurança Pública Sergio Moro de que ele teria ligação com o chamado “gabinete do ódio”. O grupo, que supostamente atua de dentro do Palácio do Planalto, é conhecido por atacar autoridades por meio das redes sociais.

Esse grupo está sob investigação tanto do STF, quanto de uma Comissão Mista Parlamentar de Inquérito (CPMI), no Congresso Nacional.

Sem citar nominalmente o ex-ministro, mas comentando o depoimento prestado à Polícia Federal, Carlos disse: “O que tem de camisolão fofoqueiro querendo que o país não avance não está no gibi”.

As declarações de Moro estão em depoimento prestado no último dia 12 de novembro. Segundo o ministro, ele foi alvo do “gabinete do ódio” ligado a Carlos Bolsonaro e que teria sido avisado disso por ministros do Palácio do Planalto.

Na noite de sexta, Carlos já havia usado as redes sociais para classificar como “tentativa boçal” o depoimento feito por Moro à PF.

“Saudades de viver em um mundo onde homens eram homens!”, escreveu o vereador.

0

Últimas notícias