*
 

O ex-executivo da empreiteira Odebrecht Cláudio Melo Filho acusa o líder do governo no Congresso, Romero Jucá (PMDB-RR), de centralizar o recebimento de R$ 22 milhões — oriundos de um suposto esquema de corrupção. As informações são do Buzzfeed Brasil.

Jucá, segundo a denúncia, repassaria o dinheiro ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e ao senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) — um dos favoritos a assumir a Presidência da Congresso em 2017.

As acusações de Cláudio Melo Filho foram repassadas à força-tarefa da Lava Jato, em uma tentativa de delação premiada. De acordo com o delator, os recursos teriam sido pagos a Jucá, a Renan e a Eunício como garantia da aprovação de projetos e de medidas provisórias de interesse da Odebrecht.

Os três parlamentares também teriam interferido na tramitação da “MP do Bem”, no projeto que tratava sobre a “Guerra dos Portos”, e em matérias tributárias.

Ao Buzzfedd, as assessorias de imprensa dos três senadores negam as acusações. Renan, Eunício e Jucá afirmaram que desconhecem as declarações do executivo e se colocam à disposição da Justiça para esclarecimentos.

 

 

COMENTE

Operação Lava JatoRenan Calheirosromero jucá
comunicar erro à redação

Leia mais: Política