Bolsonaro defende Moro e ataca PSol: “Partido defende milícias”

Ministro participou de audiência na Câmara na quarta (12/02/2020), que terminou em tumulto após ex-juiz ser chamado de "capanga da milícia"

Marcos Corrêa/PRMarcos Corrêa/PR

atualizado 13/02/2020 21:04

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) saiu em defesa do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, nesta quinta-feira (13/02/2020). Durante transmissão ao vivo nas redes sociais, Bolsonaro atacou o PSol ao dizer que o partido “defende milícias”.

O ministro participava de audiência pública na Câmara dos Deputados para debater a PEC nº 199/2019, que trata da execução de pena após a condenação em segunda instância, quando o deputado Glauber Braga (PSol-RJ) o acusou de proteger milicianos usando a Polícia Federal. Braga chamou Moro de “covarde” e “capanga da milícia”.

Na noite desta quinta, Bolsonaro leu uma postagem do ministro Moro nas redes sociais sobre o episódio ocorrido.

“Não gosto deste jogo político. Mas verdades precisam ser ditas. No projeto de lei anticrime, propusemos que milícias fossem qualificadas expressamente como organizações criminosas. Propusemos várias outras medidas contra crime organizado. O PSol, de Freixo/Glauber, foi contra todas elas”, diz a postagem do ministro.

Bolsonaro acrescentou logo em seguida: “O PSol defende as milícias. Não quero me aprofundar, porque sou do Rio de Janeiro e temos uma noção do que acontece lá. Mas o PSol foi contra criminalizar as milícias no projeto anticrime do Sergio Moro. Como disse Sergio Moro, aquele parlamentar [Glauber Braga] é desqualificado. Vamos em frente para não perder tempo com esse tipo de gente aqui”.

Últimas notícias