Audiência de Moro agita Twitter e aproxima ministro de 1 milhão de fãs

Após longa sessão na CCJ, o nome do ministro estava entre as quatro hashtags mais utilizadas, sendo três negativas e uma positiva

Jacqueline Lisboa/esp. MetrópolesJacqueline Lisboa/esp. Metrópoles

atualizado 19/06/2019 20:41

Após quase dez horas respondendo perguntas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, terminou o dia em situação favorável junto à opinião pública digital. Entre as 10 hashtags mais utilizadas em parte dos 13,2 milhões de posts produzidos no Twitter no Brasil até as 18h30 desta quarta-feira (19/06/2019), quatro eram associadas ao ministro, sendo três negativas e uma positiva.

Na balança, a expressão de apoio #detonatudomoro com 153 mil menções superou a soma de #ratomorotamelindrado, #vazajato e #renunciamoro, que juntas chegaram a 122 mil tweets.

Reprodução/ Twitter

O Sistema Analítico BITES, empresa especializada em gestão de risco e crises digitais, identificou ao longo do dia, quando começou a ficar claro que a oposição não iria atacá-lo frontalmente diante das câmeras da TV Senado, uma tendência de apoio a Moro no universo das redes. O ministro é titular de um perfil no Twitter com 980 mil seguidores.

Nessa conta oficial, o ministro assistiu ao crescimento da sua base de seguidores desde a primeira denúncia do site The Intercept em 9 de junho. Foram adicionados 68.622 fãs ao perfil de Moro, que pouco uso faz dessa plataforma. Em 30 dias, essa legião cresceu em 162 mil novos “moristas”.

No atual patamar, Moro, considerando o universo do Twitter dos 513 deputados, tem menos seguidores que Eduardo Bolsonaro (1,5 milhão) e Marcelo Freixo (1 milhão). Ele está na frente de Aécio Neves (672 mil), Gleisi Hoffmann (570 mil) e Marco Feliciano (558 mil).

O ministro perde para o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que agrega uma base de 4,5 milhões de seguidores no Twitter.

The Intercept
O site The Intercept também foi beneficiado em sua audiência com as denúncias contra Moro e os procuradores da Lava Jato.

Nos últimos seis meses, o site recebia cerca de 61 mil visitas por dia. No dia 9 de junho, esse volume chegou a 1,2 milhão. Foi para 1,3 milhão no dia seguinte, mas caiu para 563 mil em 11 de junho e estava em 352 mil na última segunda-feira (17/06/2019).

No campo das notícias que mais se propagaram nessa véspera de feriado, apenas duas sobre o ministro da Justiça apareceram na lista das 10 mais compartilhadas entre as 34 mil produzidas nas últimas 12 horas no Brasil.

A primeira na quinta colocação e a segunda na sétima com o total de 86 mil compartilhamentos no Facebook e Twitter.

Esse movimento revela que a oposição digital, como aconteceu na CCJ, não conseguiu criar uma onda contrária ao ministro na mídia clássica porque essas duas publicações eram positivas para a imagem do ministro.

Em dos artigos, do portal R7 do Grupo Record, o título em destaque era “Moro deu um baile no Senado e marcou o seu batismo como político”. Foram 45 mil interações até agora.

Nas buscas no Google Brasil, as consultas das últimas quatro horas ocorreram em torno de questões de natureza neutra e associadas aos senadores que fizeram perguntas ao ministro.

Últimas notícias