Após traqueostomia, general Villas Bôas segue estável na UTI

O assessor do GSI da Presidência da República está internado desde o início do mês. Ele é portador de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)

Rafela Felicciano/MetrópolesRafela Felicciano/Metrópoles

atualizado 11/10/2019 12:28

O assessor do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, general Villas Bôas, de 67 anos, continua internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), do Hospital Sírio Libanês, em Brasília.

Segundo o boletim desta sexta-feira (11/10/2019), o estado de saúde do ex-comandante das Forças Armadas “permanece estável”, inclusive o diagnóstico respiratório. As visitas seguem restritas apenas a familiares.

Na quinta (10/10/2019), o general apresentou uma piora no quadro de saúde e precisou fazer uma traqueostomia para desobstrução das vias respiratórias. Como consequência do procedimento, ele terá a fala comprometida.

Villas Bôas foi transferido no domingo (06/10/2019) ao Sírio Libanês após ter apresentado uma piora no quadro clínico. O assessor do GSI estava internado no Hospital das Forças Armadas, também em Brasília.

A transferência ocorreu para “fins de estabilização do quadro respiratório”. O militar é portador de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), uma doença auto degenerativa.

Últimas notícias