*
 

A Operação Lava Jato é fruto de um grande apoio da sociedade, com um novo modelo de investigação, baseado em fases, na qual as delações premiadas são o ponto de partida, destacou Deltan Dallagnol, procurador da República e membro da força-tarefa Lava Jato no Ministério Público Federal no Paraná.

“Outro pilar é a cooperação dentro do Ministério Público. Jamais houve tanta cooperação entre os órgãos brasileiros e internacionais, a Operação Lava Jato se relaciona, hoje, com mais de um quinto dos países do mundo”, afirmou Dallagnol em palestra no Congresso Internacional de Mercados Financeiros e de Capitais, organizado pela B3, em Campos do Jordão.

Segundo ele, a comunicação da Operação Lava Jato feita com a sociedade ajudou a levar entendimento e apoio da população. Dallagnol explicou também que as empreiteiras formavam cartéis para corromper agentes econômicos e políticos; “Eles combinavam quem ganhava as licitações em um jogo de cartas marcadas”, disse

Em sua apresentação, Dallagnol mostrou que a Operação identificou o pagamento de cerca de R$ 6,2 bilhões em propinas, o que gerou prejuízo à sociedade da ordem de R$ 42 bilhões. “Até aqui, aproximadamente R$ 10 bilhões já foram ressarcidos aos cofres públicos”, afirmou.

Ao todo, a Lava Jato contabiliza hoje 280 acusados e mais de 100 condenados. Segundo ele, as propinas representavam cerca de 3% do valor dos contratos. “O cálculo é que a corrupção por ano no Brasil soma R$ 200 bilhões”.