MC Maylon diz ter tentado suicídio duas vezes após suposto estupro

Funkeiro e dançarino acusa Anderson Leonardo, vocalista do grupo Molejo, de ter cometido o crime na madrugada do dia 11 de dezembro

atualizado 23/02/2021 14:00

Anderson Leonardo e MC MaylonInstagram/Reprodução

Rio de Janeiro – O funkeiro e dançarino Maylon Douglas Pinto de Nascimento Adão, o MC Maylon, afirmou ter tentado cometer o suicídio por duas vezes após o suposto estupro sofrido na madrugada do dia 11 de dezembro. Ele acusa Anderson Leonardo, vocalista do grupo Molejo, de ter cometido o crime em um motel em Sulacap, zona oeste do Rio de Janeiro.

Na entrevista, em live do jornalista Betoh Cascardo, ao lado de líderes religiosos, MC Maylon disse ter tentado se matar tomando remédios de coração e de bronquite. Segundo ele, a mãe chegou a tempo de salvá-lo e leva-lo ao hospital.

“Minha mãe viu que eu estava muito mal, grogue. Daí fomos para a casa de um amigo e depois fui atendido em um hospital em Nilópolis (Baixada Fluminense)”, contou.

Perguntado sobre a data das tentativas de suicídio, MC Maylon afirma que, depois do suposto estupro, ficou com problema de memória. “Desde esse acontecimento para cá, a minha mente falha muito. O fato acabou comigo, acaba com qualquer um, né?”.

Sobre a relação que tinha com Anderson Leonardo, o funkeiro nega qualquer situação amorosa. “Nossa relação era, primeiro, espiritual, porque nada na vida era por acaso. De pai e filho. Nossas saídas eram estritamente profissionais”, disse.

O delegado Reginaldo Guilherme, titular da 33ª DP (Realengo), não descarta uma possível acareação entre Anderson e MC Maylon.

Entenda o caso

O funkeiro e dançarino Maylon Douglas Pinto de Nascimento Adão, o MC Maylon, de 21 anos, acusa Anderson Leonardo, vocalista da banda de pagode Molejo, de estupro. O crime teria acontecido na madrugada do dia 11 de dezembro do ano passado em um motel em Sulacap, zona oeste do Rio de Janeiro.

Segundo MC Maylon, Anderson Leonardo teria forçado o funkeiro a ter relações sexuais com ele. A ocorrência policial foi registrada na 33ª DP (Realengo). O pagodeiro nega as acusações, admite que houve sexo com MC Maylon, mas “tudo consensual”.

MC Maylon entregou para a polícia uma cueca e o sabonete usados por ele no dia do suposto estupro. Um exame de DNA foi feito no material biológico encontrado na cueca usada pelo dançarino e confirmou presença de esperma de Anderson Leonardo.

Funcionários do motel prestaram depoimento e relataram que só perceberam que se tratava do cantor do Molejo quando o caso foi divulgado pela imprensa.

Busque ajuda

O Metrópoles tem a política de publicar informações sobre casos de suicídio ou tentativas que ocorrem em locais públicos ou causam mobilização social. Isso porque é um tema debatido com muito cuidado pelas pessoas em geral. O silêncio, porém, camufla outro problema: a falta de conhecimento sobre o que, de fato, leva essas pessoas a se matarem.

Depressão, esquizofrenia e o uso de drogas ilícitas são os principais males identificados pelos médicos em um potencial suicida. Problemas que poderiam ser tratados e evitados em 90% dos casos, segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria.

Está passando por um período difícil? O Centro de Valorização da Vida (CVV) pode te ajudar. A organização atua no apoio emocional e na prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, e-mail, chat e Skype 24 horas todos os dias.

Arte/Metrópoles
Disque 188

A cada mês, em média, mil pessoas procuram ajuda no Centro de Valorização da Vida (CVV). São 33 casos por dia, ou mais de um por hora. Se não for tratada, a depressão pode levar a atitudes extremas.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada dia, 32 pessoas cometem suicídio no Brasil. Hoje, o CVV é um dos poucos serviços em Brasília em que se pode encontrar ajuda de graça. Cerca de 50 voluntários atendem 24 horas por dia a quem precisa.

Últimas notícias