Maurício de Sousa critica censura à HQ na Bienal do Livro

O cartunista se posicionou contrário à decisão do prefeito do Rio de recolher gibis do evento que tinham a ilustração de um beijo gay

atualizado 07/09/2019 14:40

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles

O quadrinista e escritor Maurício de Sousa comentou, neste sábado (07/08/2019), o pedido de recolhimento dos quadrinhos “Vingadores – A Cruzada das Crianças” feito pelo prefeito Marcelo Crivella. O criador da “Turma da Mônica” foi o homenageado na 19ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro pelos 60 anos de profissão.

O autor fez uma postagem em seu perfil no Instagram com a frase: “Contra censura, a favor da liberdade de expressão e do respeito”. Na postagem, o filho do cartunista, Mauro Sousa, que faz declarações públicas ao seu companheiro, respondeu: “Meu pai, meu herói”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Mauricio de Sousa (@mauricioaraujosousa) em

Ao alegar que os quadrinhos tinham “conteúdo sexual para menores”, a decisão de recolher a graphic novel da Marvel causou polêmica nas redes sociais e fora delas. “Livros assim precisam estar embalados em plásticos pretos, lacrados e do lado de fora avisando o conteúdo”, defendeu Crivella.

Os gibis, contudo, se esgotaram em 29 minutos durante o evento. Lançada em 2010, a obra não é destinada ao público infantil. A história mostra os personagens Wiccano e Hulkling como namorados. A Marvel não participa da Bienal com estande, mas os livros estão à venda com outros expositores.

Últimas notícias