*
 

A Women’s Entrepreneurship Day Organization (WEDO) vai celebrar, em 13 de novembro, o Dia do Empreendedorismo Feminino. Durante o evento, a instituição premiará pessoas e empresas que têm papel fundamental no empoderamento de mulheres no Brasil. Representando o Grupo Metrópoles de Comunicação, a diretora-executiva, Lilian Tahan, receberá o troféu da categoria Jornalismo e Distribuição de Informação.

“É uma honra que o Metrópoles tenha sido lembrado dentro do contexto do empoderamento feminino. Temos um poderoso olhar das mulheres sobre todas as coisas. Comemorar o Dia do empreendedorismo ao lado de figuras inspiradoras nos dá ainda mais ânimo para seguirmos em frente com nossa missão”, disse Lilian Tahan.

Também serão homenageadas: a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia, pelo seu incentivo e conscientização no Brasil; Nadine Gasman, representante do Escritório da ONU Mulheres no Brasil, pelo trabalho com alcance nacional; a estilista Martha Medeiros, pelo incentivo e produção de artesanato; e a vice-presidente jurídica da Microsoft Brasil, Alessandra Del Debbio, pelo destaque jurídico.

Confira a lista completa das 10 ganhadoras:

As vencedoras foram selecionadas a partir de uma lista apresentada pelos organizadores brasileiros ao comitê da WEDO reunido nos Estados Unidos. A instituição escolheu nomes de profissionais que lutam pelo desenvolvimento econômico das mulheres, comunidades e países. Os troféus serão distribuídos durante o evento Women’s Entrepreneurship Day (WED) Brazil 2018 no Parque Tecnológico de Brasília (Biotic), com a presença de 150 convidados.

Esse grupo de ganhadoras cria, cada uma em sua área, um ambiente de colaboração para promover o empreendedorismo e o empoderamento, bem como instigar a reflexão do papel da mulher na sociedade"
Cris Castro, embaixadora WEDO Brazil

Cada homenageada vai apresentar sua trajetória profissional às colegas, e depois um coquetel será servido para celebrar as premiadas. Na ocasião, os organizadores também irão anunciar o projeto social que vão patrocinar em 2019. Neste ano, eles apadrinharam a Viva Vida, que resgata jovens vítimas de violência e abuso sexual. Painéis e mesas de discussão acontecerão simultaneamente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

O Metrópoles sempre se preocupou com a representatividade feminina. Os cargos mais altos da empresa são ocupados por mulheres: a diretora-executiva, Lilian Tahan, comanda uma equipe de 200 profissionais ao lado da editora-executiva, Priscilla Borges, e da editora-chefe, Maria Eugênia.

Arquivo Pessoal

Cris Castro é embaixadora da WEDO no Brasil

A equipe também prioriza pautas sobre questões de gênero. Já publicou matérias amplamente reconhecidas e premiadas por tratarem de questões femininas de maneira diferenciada, como Avisa quando chegar — O assédio que paralisa as mulheres. A reportagem adverte sobre como o assédio em espaços públicos impede mulheres de quebrarem os ciclos de pobreza em que vivem. O portal também contou a história dos imigrantes venezuelanos em Roraima com recorte feminino, para dar voz a quem está mais vulnerável nesse processo. O especial A saga das mulheres venezuelanas refugiadas no Brasil encontrou relatos de xenofobia, desnutrição, morte na maternidade, estupro, exploração sexual e violência física. A qualidade e a importância do material foram, inclusive, reconhecidas pelo Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional, organizado pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

Para publicar a reportagem Caminhoneiras, codinome coragem, o Metrópoles pegou carona na boleia de dois veículos conduzidos por caminhoneiras. A equipe percorreu 2 mil quilômetros para revelar perigos, desafios e alegrias encontrados por essas profissionais em suas viagens. Já a reportagem Senhoras das Dores: as mães que a violência policial despedaçou reproduziu relatos de sete mulheres, de seis estados, com filhos vítimas de policiais, para dar a dimensão de um fenômeno de violência com proporções nacionais. Elas sofrem com investigações incompletas e até inexistentes.

Além disso, o portal criou uma rede com as mães, irmãs, tias e avós de desaparecidos no Distrito Federal para ajudá-las a encontrar seus parentes. Ao saber que famílias estão em busca de crianças, adolescentes e até adultos, repórteres entram em contato para publicar imagens e detalhes a fim de ajudar na procura. Com esse tipo de matéria, o Metrópoles já ajudou centenas de mulheres a dormirem tranquilas após reencontrarem seus entes queridos.

A WEDO foi criada pela humanitarista Wendy Diamond em 2013. A organização sem fins lucrativos busca empoderar, celebrar e incentivar o empreendedorismo feminino, visando resgatar mulheres com vulnerabilidade social. Ao todo, 145 países apoiam a instituição, e 250 milhões de meninas que vivem em situações de pobreza foram impactadas positivamente pelo projeto.