GO: mulher denunciou agressão meses antes de ser morta, diz polícia

Jocimeire Cardoso procurou a polícia após ser agredida pelo namorado em 2020. O mesmo homem agora é acusado de matar a mulher e o filho

atualizado 08/08/2022 16:48

mae filho mortos corpos sofa itapirapua goias (1) Facebook

Goiânia – Dez meses antes de ser assassinada, a dona de casa Joicimere Conde Cardoso, de 38 anos, denunciou seu então companheiro por agressão. Este mesmo homem, Benjamim de Araújo, de 55 anos, é o principal suspeito pelas mortes de Joicimere e de seu filho, João Vitor Conde, de 8 anos.

Eles foram encontrados mortos, já em estado de decomposição, em um terreno baldio às margens da BR-070, em Itapirapuã, no oeste de Goiás, a 195 km da capital, no último sábado (6/8).

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Araújo foi preso após os dois homicídios. E, antes disso, ele já havia se tornado réu em função da denúncia apresentada por Joicimere. A audiência de instrução e julgamento estava marcada para o próximo dia 19 de agosto.

Segundo o inquérito de 2020 a que o Metrópoles teve acesso, Joicimeire tinha um relacionamento com Benjamim. Ela relatou para a polícia que foi agredida com xingamentos, socos e murros, além de ser jogada contra a parede e ter os braços puxados.

Motivo fútil

Benjamim teria iniciado as agressões após uma Joicimeire criticá-lo por comprar muita cerveja e dar pouca atenção ao café da manhã da família.

Na época, Benjamim foi preso e negou as acusações de sua companheira. Disse que os hematomas em Joicimeire, comprovados em exame do IML, teriam sido provocados por ela mesma.

Dois assassinatos

Benjamim é acusado de matar Joicimeire e o filho, e também é apontado como o responsável por esconder os corpos em um sofá, abandonado na beira da rodovia.

Os corpos foram encontrados no sábado. Benjamim acabou preso preventivamente no dia seguinte, na fazenda em que trabalhava. As causas das mortes ainda não foram confirmadas, mas inicialmente foram descartados uso de arma de fogo e faca. Benjamim nega os crimes.

Testemunhas relataram para a polícia que ouviram barulhos de agressão de dentro da casa do suspeito, onde estavam Joicimeire e o filho, na noite de 31 de julho, um domingo. Eles teriam retomado o relacionamento.

Mãe e filho desaparecidos

Desde a data mencionada, a vítima e o filho não foram mais vistos, segundo familiares.

De acordo com o delegado Gustavo Barreto, a perícia aponta dia 31 de julho como a data das mortes. A polícia investiga se houve a participação de mais alguém. A casa do suspeito vai passar por uma perícia.

Benjamim teria reconhecido que estava na casa com Joicimeire e o filho. No entanto, ele teria dito para a polícia que foi dormir embriagado e quando acordou estava sozinho. A reportagem ainda não conseguiu contato com a defesa do acusado.

Mais lidas
Últimas notícias