Força-tarefa da Polícia Civil do Rio ataca braço financeiro da milícia

Agentes prenderam pelo menos 16 criminosos, asfixiando fontes de renda como comércios e serviços ilegais, que geram lucro para quadrilha

atualizado 25/05/2021 13:20

Rio de Janeiro – A Polícia Civil do Rio montou uma força-tarefa para avançar contra um dos braços financeiros da milícia. A investigação resultou numa operação realizada na manhã desta terça-feira (25/05), em vários locais da zona oeste e Baixada Fluminense.

Durante a ação, a polícia prendeu pelo menos 16 criminosos e promoveu o asfixia das fontes de renda da quadrilha, na tentativa de interromper serviços e comércios ilegais que são explorados pela organização criminosa.

Entre os crimes investigados estão exploração de atividades ilegais controladas pela milícia; cobranças irregulares de taxas de segurança e de moradia; instalações de centrais clandestinas de TV a cabo e de internet (gatonet/gatointernet); armazenamento e comércio irregular de botijões de gás e água; empresas de GNV ilegais.

Também há parcelamento irregular de solo urbano; exploração e construções irregulares, areais e outros crimes ambientais; comercialização de produtos falsificados; contrabando; descaminho; transporte alternativo irregular; estabelecimentos comerciais explorados pela milícia e utilizados para lavagem de dinheiro, entre outras ilegalidades.

A apuração dos crimes será aprofundada com documentos e aparelhos apreendidos com os presos e em locais como depósitos de gás clandestinos e provedores ilegais de internet explorados pela milícia, cujos locais-sede foram alvo de mandados de busca e apreensão.

A polícia estourou ainda estabelecimentos comerciais explorados pela milícia que comercializam produtos piratas e interditou obra irregular da milícia na Muzema, na zona oeste, com a prisão do responsável.

 

0

 

Últimas notícias