*
 

A Polícia Federal deflagrou em São Paulo, nesta terça-feira (3/4), a Operação Reembolso, que investiga grupo criminoso especializado em roubos e furtos em agências dos Correios, supermercados, lotéricas, postos de gasolina, além de outras empresas com cofres para a guarda de valores. Mandados judiciais são cumpridos por cerca de 100 policiais em cidades do interior paulista desde a manhã desta terça-feira (3/4).

São dois de prisão preventiva, 11 de temporária e 20 de busca e apreensão, nas cidades de Urânia, Aparecida d’Oeste, Araçatuba e Birigui, todas em São Paulo. Uma servidora dos Correios de Urânia, suspeita de repassar informações privilegiadas ao grupo, também foi presa temporariamente.

As investigações tiveram início a partir de um roubo ocorrido em Urânia em janeiro de 2016. Na ocasião, dois homens armados renderam os funcionários e levaram toda a quantia depositada no cofre da agência postal.

A partir desse roubo, de competência federal, a PF iniciou as investigações e identificou núcleos de criminosos nas cidades de Araçatuba e Birigui, que mantinham contatos com comparsas da região de Jales (SP). No decorrer das apurações, outras investidas criminosas do grupo foram identificadas nas cidades de Nipoã, Aparecida d’Oeste, Urânia, Araçatuba e Birigui.

A PF identificou ainda crimes contra postos de gasolina, lotéricas e supermercados. A agência dos Correios de Urânia foi alvo do grupo em pelo menos três ocasiões desde o início das investigações.

Na última tentativa de ação dos criminosos no local, em outubro de 2017, eles foram surpreendidos por equipes da PF e da PM. Houve resistência e troca de tiros, que terminou com a morte de um e a prisão de outros três criminosos. Outros três indivíduos identificados posteriormente serão presos nesta terça.

Os suspeitos responderão, na medida de sua culpabilidade, pelos crimes de furto e roubo qualificado, associação criminosa armada, tentativa de homicídio, entre outros crimes. Os detidos serão encaminhados para a sede da Polícia Federal em Jales para serem ouvidos. Posteriormente, eles serão conduzidos à Cadeia Pública de Santa Fé do Sul (SP), onde permanecerão à disposição da Justiça Federal.