“Ideia de ensino presencial clássico tende a desaparecer”, diz pesquisador

Estudo da Abmes e Educa Insights mostra que pandemia exigiu adaptação de instituições de ensino superior para continuidade de atividades

atualizado 24/11/2020 14:02

carteiras em sala de aulaRafaela Felicciano/Metrópoles

A Associação Brasileira de Mantenedores de Ensino Superior (Abmes) anunciou, na manhã desta terça-feira (24/11), os resultados da pesquisa Coronavírus e Educação Superior: 5ª fase do estudo sobre o que pensam os alunos, realizada em parceria com o Educa Insights.

Os dados revelam uma retomada do ensino presencial, mas que ainda não é idêntica a um cenário antes da pandemia da Covid-19. A pesquisa, realizada de 13 a 15 de novembro, também mostrou que 38% dos alunos têm intenção de se matricular em algum curso de graduação já no início de 2021.

0

Isso significa um aumento de 24 pontos percentuais em comparação com ao estudo anterior, em julho, levando como base a expectativa para o segundo semestre de 2020. Enquanto isso, caiu a incerteza sobre a matrícula em um curso superior, de 38% para 26%.

O pesquisador Daniel Infante explicou que a adaptação foi necessária para que as aulas continuassem e que, graças à tecnologia, é possível pensar em uma nova ideia de ensino presencial. “A ideia de presencial clássico tende a desaparecer”, definiu.

Ele também destaca que isso não significa o fim da modalidade, mas que a pandemia mostrou a necessidade de ser feita uma mudança na maneira como é realizada atualmente. “O produto muda, mas o presencial não vai deixar de existir”, destacou Daniel.

Enem

A pesquisa aponta que, após o Enem, mais de 80% dos alunos se sentirão confortáveis para prestar vestibular no formato presencial. Uma das explicações para isso é exatamente a retomada de algumas atividades com a flexibilização das medidas de isolamento social.

A incerteza em relação aos estudos diminuiu e trouxe novas esperanças para os centros universitários, pois foi notada uma evolução na intenção de estudar. “Estamos bem otimistas para o cenário de 2021”, afirmou Sólon Caldas, diretor executivo da Abmes.

E a preocupação com o contágio do novo coronavírus também faz com que os empresários não tenham pressa em retornar ao ensino presencial. “O setor é favorável a que se mantenha a continuação de atividades remotas pelo menos ao longo do ano que vem”, afirmou Celso Niskier, diretor presidente da Abmes.

 

 

 

 

Últimas notícias