*
 

O aeroporto Internacional Hollywood, em Fort Lauderdale, na Flórida, foi reaberto após um tiroteio na noite de sexta-feira (6/1), quando cinco pessoas morreram e oito ficaram feridas. Segundo informações da polícia, a área foi reaberta às 5h, no horário local, para voos comerciais.

Longas filas de passageiros se formam e funcionários do aeroporto tentam encontrar os proprietários de várias bagagens deixadas. O terminal 2 permanece fechado. No local, o veterano da guerra do Iraque Esteban Santiago abriu fogo indiscriminadamente.

O atirador usou uma arma semiautomática e não fez nenhum comunicado antes de iniciar os tiros, mas agentes da Agência Nacional de Investigação (FBI, na sigla em inglês) não descartam terrorismo como principal motivo.

Em novembro, Santiago compareceu ao escritório do FBI em Anchorage, no Alaska. Ele estava agitado, segundo os agentes, e sugeriu que agentes da inteligência o forçavam a assistir propaganda terrorista, mencionando o grupo Estado Islâmico. Naquela ocasião, Santiago ficou retido para uma avaliação psicológica e foi liberado.

A família do atirador informou às autoridades que ele tinha um histórico de doenças mentais surgidas após seu serviço militar no Iraque. Segundo parentes, ele recebia tratamento psicológico no Alaska. “A única coisa que eu posso dizer é que desde quando voltou do Iraque, ele não se sentia bem”, disse o tio do atirador, Hernan Rivera.

Esteban Santiago, 26 anos, serviu em 2010 como parte da Guarda Nacional de Porto Rico, passando um ano no batalhão de engenharia. Ele nasceu em Nova Jersey, mas passou a morar em Porto Rico quando tinha dois anos. Nos últimos anos, ele morava em Anchorage, Alaska, com seu irmão, Bryan Santiago.

 

 

COMENTE

TerrorismoEUAFlóridaaeroporto Internacional Hollywood
comunicar erro à redação