*
 

O presidente Michel Temer disse neste domingo (4/9) que, com uma base sólida, o governo vai conseguir aprovar questões “aparentemente difíceis”. A declaração foi feita após o senador Aécio Neves, presidente do PSDB, cobrar, em entrevista ao jornal O Globo, uma ação de Temer sobre o PMDB para que o partido abandone o que chamou vícios adquiridos durante a convivência com o PT. O peemedebista aproveitou para comentar a declaração feita pelo papa Francisco sobre o cenário político brasileiro.

No sábado (3), durante cerimônia em homenagem à Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, o pontífice disse que o país vive “um momento triste” e pediu à santa que continue protegendo o povo brasileiro. “O papa revelou uma preocupação com o Brasil que, convenhamos, todos nós temos. Acho que a alegria se formará pouco a pouco”, avaliou o presidente brasileiro.

“Foram três, quatro meses de uma problemática político-constitucional que gerou conflitos”, completou. Ao final, Temer voltou a dizer que a confiança no país está crescendo e que um dos primeiros resultados será o aumento de vagas de emprego no país.

Tucanos
“Precisamos conversar permanentemente. Com o PSDB, tenho conversado com frequência”, disse o presidente da República durante entrevista coletiva na cidade de Hangzhou, na China, onde ocorre a Cúpula do G20, grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo. “Com essa base sólida, vamos conseguir aprovar questões aparentemente difíceis”, completou.

Segundo a reportagem de O Globo, Aécio afirmou que Temer precisa ter uma “DR” com o PMDB. Na entrevista concedida na China, Temer disse que uma das coisas a que o governo mais tem se dedicado a fazer é “discutir a relação”. “ Nós haveremos de conversar sempre”, finalizou.

 

 

COMENTE

Michel Temerpapa francisco
comunicar erro à redação