*
 

Após um ano da prisão de Gizar Ziyangareev, 39 anos, na Rússia, a mãe de uma das mulheres que ele estuprou vai recorrer à Justiça para que seja aplicada a pena de morte. Segundo a mãe, a jovem ficou tão traumatizada que não consegue mais falar. À época, durante o julgamento que o condenou a 27 anos de prisão, Gizar disse que as vítimas “deveriam agradecê-lo”.

“Eu não fui ao julgamento porque minha filha precisava de mim perto dela e eu não queria gastar minha energia com esse monstro”, contou a mãe da vítima ao The Mirror. “Tal pessoa deve ficar isolada da sociedade. Peço pela volta da pena de morte. Minha dor é muito severa para ver a pessoa que acabou com a vida de minha filha”, desabafou.

O estuprador agia da mesma forma com todas. Ele ameaçava e agredia as vítimas enquanto elas iam de casa para o trabalho. Primeiro, usava uma faca, depois dava murros. Quando estavam indefesas, ele as levava para o mato e realizava o ato. Uma das mulheres, de 31 anos, sofreu uma parada cardíaca durante o crime e ficou em coma.

Aos jornais da Rússia, Gizar disse que “não fez nada de mal com essas mulheres” após confessar o crime. Ainda não há informações sobre o pedido da mãe pela pena de morte na Justiça.

 

 

COMENTE

estupro
comunicar erro à redação