*
 

Uma corrente de WhatsApp condena o filme “Moonlight: Sob a Luz do Luar” por causa do tema gay desenvolvido no filme. De conteúdo preconceituoso, o texto convoca um boicote ao longa vencedor do Oscar de melhor filme e usa termos inapropriados como “homossexualismo”.

O autor do texto se engana ao dizer que Chiron, personagem central da trama, “é acolhida por um desconhecido que passa a cuidar dela até a adolescência ensinando-a a seguir o caminho do homossexualismo”.

Na verdade, o “desconhecido”, Juan (Mahershala Ali), não orienta Chiron a “escolher” ser gay. Figura paterna, ele apenas aconselha o menino a, em algum momento da vida, decidir “quem você vai ser”. “Não deixe ninguém tomar essa decisão por você”, completa Juan.

Outro vacilo da tal corrente é dizer que “o diretor mostra para o telespectador um menino sofrido que encontra a ‘felicidade’ se unindo a outro homem”. Para começo de conversa, é cinema e não TV. Portanto, “Moonlight”, enquanto não passar na telinha ou na Netflix, não tem telespectador, mas espectador.

Quem viu “Moonlight” sabe que Chiron não encontra a tal “felicidade se unindo a outro homem”. Pelo contrário: é um filme sobre descobertas realizadas em momentos distintos da vida (infância, adolescência e juventude). O personagem passa a trama inteira tentando definir sua identidade em um mundo confuso e violento.

 

Por fim, o texto ainda comete outras conclusões erradas: “O filme foi o recordista negativo de bilheterias em todo o mundo”. Errou! “Moonlight” custou apenas US$ 1,5 milhão e já retornou US$ 41,8 milhões mundialmente. Só no Brasil, arrecadou R$ 2,953 milhões (até domingo, 5/3) e atraiu mais de 160 mil pessoas aos cinemas. Fracasso? Sem chance.

“Foi o filme que o mundo inteiro rejeitou por denegrir os princípios da maior criação Divina: A Família”, diz o texto. Mais uma informação equivocada. Em 2016, “Moonlight” fechou a temporada com placar 99 no Metacritic, um site agregador de críticas de cinema. Entre quinta (2/3) e domingo (5/3), dias após o Oscar, o público do filme cresceu 136% no Brasil.

Leia o texto que tem circulado no WhatsApp:

Você vai assistir o Filme “MOONLIGHT” vencedor do Oscar 2017 ??? O filme conta a história de uma criança que é abandonada pelo pai, sofre de “bulling” na escola e só tem a mãe que é viciada em drogas. Essa criança é acolhida por um desconhecido que passa a cuidar dela até a adolescência ensinando-a a seguir o caminho do homossexualismo. O diretor mostra para o telespectador um menino sofrido que encontra a “felicidade” se unindo a outro homem.

Antes de você se dispor a assistir o filme Vencedor do Oscar 2017 “Moonlight” gostaria que você soubesse que foi o filme onde famílias tiveram que levantar da poltrona do cinema e virar as costas ao ver cenas de dois homens tendo relações sexuais. Que o filme foi o recordista negativo de bilheterias em todo o mundo. Isso mesmo; Teve péssima arrecadação e foi o filme que o mundo inteiro rejeitou por denegrir os princípios da maior criação Divina: A Família.

Ensina a criança no Caminho em que deve andar, e mesmo quando for velho não se desviará dele!(Prov. 22:6)

Vale a pena divulgar esta mensagem…

 

 

COMENTE

gaylgbthomofobiaoscar 2017moonlight
comunicar erro à redação