*
 

O ano foi de crise, de recessão, que afetou fortemente o mercado imobiliário. Mas o setor começa a dar sinais de recuperação. Em outubro deste ano, os preços de casas, apartamentos e salas comerciais aumentaram 0,214% em comparação com setembro. Foi a primeira alta do ano. Em algumas cidades, como Guará, Gama e Plano Piloto, a valorização foi ainda maior, segundo dados do Sindicato da Habitação do DF (Secovi).

De acordo com o presidente do Secovi/DF, Hiram David, o setor registrou uma redução na oferta de imóveis e verificou que os preços pararam de cair. “Desde junho, já havia uma certa estabilidade e agora registramos uma leve valorização. Acredito que as novas medidas que incentivaram o crédito imobiliário tenham influenciado nos valores”, explica.

Com a valorização, quem tem um imóvel parado começa a fazer as contas. No entanto, segundo especialistas, ainda não é a hora de fechar o negócio. “O mercado está só começando a reagir. Nossa expectativa é de que, no segundo semestre de 2017, as coisas voltem ao normal. Portanto, quem puder esperar para vender, melhor”, destaca o corretor Geraldo Nascimento.

Mas ele explica que a dica vale para o proprietário do imóvel que não precisa do dinheiro da venda de imediato. “Se o imóvel é uma poupança e você pode esperar pelo melhor momento, ótimo, mas se não, melhor aproveitar a procura e vender. Não compensa ter um imóvel e ficar devendo na praça, pagando juros ao banco, se endividando ainda mais”, completa Nascimento.

Se você ainda está na dúvida sobre o que fazer, vale ficar atento aos locais onde os imóveis encareceram mais. No Guará, por exemplo, o valor das lojas comerciais cresceu 17,05%. O que mais chama a atenção, no entanto, é o aumento de R$ 50 mil no preço médio das casas de quatro quartos no Plano Piloto, o que representa um crescimento de 2,50% em relação ao mês de setembro.

Quem também tem apartamento de 2 e 3 quartos no Plano Piloto pode pensar na venda. Esse tipo de imóvel valorizou nos últimos meses. Assim como os apartamentos maiores do Guará. No Gama, as casas com quatro dormitórios tiveram aumento de preços de 8,89%, ou R$ 40 mil a mais. No Cruzeiro, o movimento do mercado em outubro foi semelhante – imóveis com o mesmo tamanho aumentaram 9,20%, ou R$ 80 mil a mais que o mês anterior.

Já em Águas Claras, os valores de quitinetes e apartamentos de até dois quartos diminuíram consideravelmente. “Águas Claras é um lugar de muita oferta, com isso, é possível uma negociação maior entre o proprietário e o comprador, o que pode significar uma diminuição no valor final”, afirmou o presidente do Secovi/DF.

 

 

COMENTE

vendavalorizaçãoImóveis DF
comunicar erro à redação