*
 

O caso de Milton de Souza, 68 anos, não cansa de impressionar. Nesta última quinta-feira (22/9), ele havia sido dado como morto, mas voltou a respirar enquanto estava na funerária sendo preparado para o velório. Encaminhado para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de Londrina, no Paraná, Souza não resistiu: na madrugada desta quarta-feira (28), ele morreu de hipotermia. Segundo reportagem do G1, a morte foi confirmada pela equipe médica da Santa Casa à 0h50.

Entenda
Segundo a Administração de Cemitérios e Serviços Funerários de Londrinax (Acesf), Souza foi dado como morto pela primeira vez às 16h20 do dia 22 de setembro. Ao ser encaminhado ao necrotério para a preparação do corpo, uma servidora percebeu movimentos no abdômen do “cadáver”. Assustada, chamou o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), que constatou que Souza estava vivo.

O homem foi, então, levado para a Santa Casa de Londrina e precisou ser internado na UTI. Por conta da confusão, a família registrou ocorrência. O hospital em que ele estava anteriormente disse que foram feitos os procedimentos de reanimação após uma parada cardiorrespiratória, mas não surtiram efeito. Dessa forma, ele foi declarado morto.

“A equipe de enfermagem que prepara o corpo no necrotério do hospital não notou que o homem apresentava sinais vitais e nem os funcionários da Acesf que foram buscar o corpo não perceberam nada de diferente. É um caso impressionante e raro”, detalha o diretor-geral do hospital, Luiz Koury, ao G1.

 

 

COMENTE

Paraná.londrina
comunicar erro à redação