Multivitamínicos: quais são os reais benefícios?

Especialistas divergem em relação às verdadeiras vantagens de se fazer consumo do medicamento a longo prazo

IstockIstock

atualizado 18/12/2018 19:39

Há muita discussão em relação aos reais benefícios de se consumir multivitamínicos. Para resolver o debate, a revista Men’s Health pediu a opinião de dois especialistas sobre o assunto.

De acordo com Michael Roizen, presidente do Instituto Wellness da Clínica Cleveland, multivitamínicos apresentam sim benefícios a longo prazo e também para a reprodução.

O médico explica que, embora as vantagens a curto prazo não sejam tão significativas, dados coletados ao longo de um período de 20 anos demonstram resultados positivos em relação a doenças cardíacas e risco de câncer.

Em um desses estudos, por exemplo, homens que consumiam multivitamínicos apresentaram 43% menos chances de ter ataques cardíacos após 20 anos, em comparação com aqueles que não utilizavam o medicamento.

Roizen faz a ressalva de que uma dieta baseada em frutas e verduras é essencial para se adquirir todas as vitaminas e minerais essenciais à boa saúde.

Contudo, JoAnn Manson, professora de saúde pública da Universidade de Harvard, defende que uma pílula contendo 20 vitaminas e minerais nunca vai desempenhar a mesma função de uma dieta saudável. “Muitas pessoas consomem multivitamínicos como uma forma de justificar hábitos de alimentação não saudáveis”, afirma.

Além disso, estudos e organizações alegam que tais compostos não seriam tão benéficos a ponto de justificar seu consumo diário. Manson aconselha investir em vegetais e frutas, grãos, carne de qualidade, peixe e fontes de gordura não saturada, como azeite de oliva e nozes.

Últimas notícias