Saiba como evitar que a esponja de pia vire um criadouro de bactérias

O biomédico Roberto Figueiredo explica o ritual de descontaminação necessário para evitar a proliferação de bactérias na cozinha

atualizado 02/11/2021 12:37

Esponja de pia

Você sabia que a cozinha possui mais bactérias do que o banheiro? A combinação de umidade e restos de comida transforma o espaço no local ideal para o desenvolvimento desses microrganismos. E, dentro da cozinha, as esponjas de pia são um perigo ainda maior.

O biomédico Roberto Figueiredo, conhecido como Dr. Bactéria, comenta que o as esponjas contém água, alimento e esconderijo, formando o espaço “dos sonhos” para germes se estabelecerem.

“Não existe local que é mais limpo que o banheiro, constantemente estamos limpando e usando desinfetantes. O local mais contaminado em uma casa é a cozinha, pois é neste local que recebemos hortaliças, carnes, caixas e embalagens vindas de supermercados e feiras livres, que trazem consigo vários microrganismos provenientes de adubos, terra, granjas e matadouros”, explica.

Para evitar que sua esponja de lavar louças se torne em um criadouro de bactérias, é importante seguir alguns hábitos: lavar e enxaguar bem, imergir em uma solução de duas colheres de sopa de água sanitária por um litro de água por cinco minutos, torcer e manter em um local seco, nunca sobre o sabão. A indicação é que esta rotina de descontaminação seja feita diariamente.

O biomédico afirma que apenas um mililitro de líquido proveniente de uma esponja torcida contém 10 milhões de bactérias. “Se uma esponja for mantida úmida, o número de microrganismos vivos não diminui por duas semanas. As bactérias podem sobreviver por pelo menos dois dias em uma esponja seca no ar”, explica.

Segundo ele, o tempo máximo de duração de uma esponja na cozinha é de uma semana, isso desde que seja desinfetada todos os dias.

Confira outras dicas para manter a sua cozinha longe das bactérias

A utilização de panos para secar louças pode auxiliar na contaminação “cruzada”, quando bactérias presentes em alimentos são transportadas para utensílios limpos e acabam contaminando outros alimentos.

Roberto Figueiredo conta que o paninho de louça precisa ser trocado assim que estiver úmido. Nunca deve ser deixado para secar sobre a pia ou fogão pois esses locais podem conter cerca de 1 milhão de bactérias a mais do que o tampo de um vaso sanitário.

De acordo com o biomédico, tábuas de corte plásticas são mais fáceis de higienizar do que as tábuas de madeira. Estudos recentes  demonstraram que microrganismos se fixam em superfícies de madeira, sendo difíceis de se desalojar através de enxágue.

Os microrganismos presentes em tábuas plásticas são facilmente eliminados por intermédio de lavagens. Quando as tábuas plásticas estiverem muito riscadas ou com a coloração modificada devem ser trocadas.

Mais lidas
Últimas notícias