metropoles.com

Entenda os sinais, as causas e as consequências da puberdade precoce

Entrar na puberdade antes da hora pode trazer problemas para as meninas e os meninos

atualizado

Compartilhar notícia

Gabriella Clare Marino/Unsplash
adolescentes de máscara sentados em uma escada
1 de 1 adolescentes de máscara sentados em uma escada - Foto: Gabriella Clare Marino/Unsplash

Entre as transformações típicas da puberdade, observa-se aceleração do crescimento, redistribuição de gordura, aumento da massa muscular, surgimento de pelos de forma mais intensa, desenvolvimento genital. No entanto, tais alterações têm tempo certo para acontecer.

O período considerado normal varia entre 8 e 14 anos nas meninas e entre 10 e 15 anos nos meninos. Se esse processo ocorre antes — condição conhecida como puberdade precoce —, pode trazer consequências, principalmente se não houver um acompanhamento adequado. 

Um dos efeitos mais observados é a baixa estatura. O indivíduo até cresce antes dos colegas, mas pode não chegar ao seu potencial máximo. Com o passar do tempo, ele é ultrapassado pelos amigos. 

Além disso, a puberdade precoce prolonga o tempo de exposição das mulheres ao estrogênio, um hormônio feminino. “E isso pode aumentar o risco de câncer de mama e de endométrio”, afirma Lorena Lima Amato, especialista da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). “Além disso, as mudanças psicológicas típicas da puberdade ocorrem antes do período em que a criança estaria preparada para isso”, completa.

A endocrinologista conta que alterações comportamentais, estirão do crescimento, aparecimento de pelos pubianos e nas axilas e acne antes dos 8 anos no sexo feminino e dos 10 anos no masculino podem ser sinais do início precoce da puberdade. Segundo Lorena, o pelo que acusa o princípio dessa fase da vida é mais espesso, pigmentado e encaracolado.

O acompanhamento médico periódico é essencial para avaliar o desenvolvimento das crianças e dos jovens. Se for necessário, o profissional indicará testes de sangue para dosar hormônios sexuais e exames como a ultrassonografia, que permitem averiguar a evolução de útero, ovários e testículos, além da idade óssea. Já a intervenção terapêutica depende do diagnóstico.

Boa parte dos casos de puberdade precoce não tem uma causa conhecida —especialmente nas meninas. “Nessas situações, geralmente o tratamento consiste em medicamentos injetáveis que bloqueiam a ação de certos hormônios”, explica Lorena.

Certos tumores também podem se instalar perto da hipófise, uma glândula localizada na base do cérebro que produz hormônios que modulam o desenvolvimento das crianças. E, com isso, podem instigar a puberdade precoce. Cirurgias para lidar com esses tumores ajudam a contornar o quadro. (Com informações da Agência Einstein)

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSaúde

Você quer ficar por dentro das notícias de saúde mais importantes e receber notificações em tempo real?