Coronavírus: Brasil terá centro emergencial de diagnóstico

Parceira entre Ministério da Saúde e empresa particular será capaz de fornecer 30 mil resultados de exames por dia

atualizado 21/04/2020 13:16

Autoridades do DF visitam Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen)Rafaela Felicciano/Metrópoles

O Ministério da Saúde e a empresa de diagnósticos Dasa firmaram uma parceria para aumentar consideravelmente o número de testes processados pela rede pública de saúde no prazo mais rápido possível. Atualmente, a estimativa é que entre 10 mil e 20 mil testes estejam sendo processados por dia no sistema único de saúde. Com a inauguração do laboratório emergencial, outros 30 mil diagnósticos/dia serão feitos no local.

A Dasa, líder no segmento de exames na América Latina e presente em vários estados brasileiros, está construindo um laboratório em São Paulo e selecionando pessoal para trabalhar no espaço. O Ministério da Saúde, por sua vez, é o responsável por conseguir os equipamentos e insumos necessários para a realização dos exames.

De acordo com a empresa, não há transferência de recursos envolvida. “Nosso objetivo é ajudar a população, colaborar com o momento excepcional que o país está vivendo”, afirmou o médico Emerson Gasparetto, vice-presidente da área médica da empresa.

Com previsão para a realizar 3 milhões de testes nos próximos seis meses, o centro de diagnóstico emergencial é uma das primeiras iniciativas para testagem em massa da população brasileira. O protocolo, entretanto, continua centrado em pessoas que manifestarem sintomas da Covid-19. “Neste primeiro momento, o mais urgente é fazer diagnósticos. Saber qual a velocidade da curva de contágio para ter informações mais acuradas para manejar a epidemia”, detalhou o médico Gustavo Campana, que está a frente do projeto.

Os exames realizados no centro de diagnóstico emergencial serão do tipo RT-PCR (sigla em inglês para transcrição reversa seguida de reação em cadeia da polimerase), considerados os mais seguros para o diagnóstico com 96,4% de acurácia. São testes que analisam o RNA do vírus a partir de amostras recolhidas nas vias respiratórias dos pacientes.

O laboratório entra em funcionamento assim que os equipamentos chegarem ao espaço e quando um chamamento do Ministério da Saúde para coleta e transporte de amostras for encerrado.

Últimas notícias