Aos 75, mulher com problema cardíaco está curada do coronavírus

Doença é letal principalmente para idosos com condições que fragilizam a saúde. Pacientes com mais de 65 anos são 80% dos casos fatais

atualizado 06/02/2020 20:45

coronavírus ilustraçãoCallista Images/Getty Images

Desafiando as estatísticas de que 80% das vítimas fatais do coronavírus são idosos, Jaimuay Sae-ung, 75 anos, foi considerada curada da infecção pelos médicos. A senhora, que tem um problema no coração, foi a primeira tailandesa a ser diagnosticada com a doença. Ela esteve em Wuhan a turismo e, quando voltou para casa, começou a se sentir muito cansada e com febre. De acordo com os médicos, o grupo de risco é formado por pessoas acima dos 65 anos, com problemas de saúde que as deixem mais vulneráveis.

Ao procurar um hospital, a mulher foi colocada em isolamento imediatamente. Ela conta, ao jornal Sky News, que ficou em uma sala com janelas de duas ou três camadas de vidro e foi atendida por médicos cobertos da cabeça aos pés. “Fiquei muito confusa, sem entender por que estava ali”, afirma.

Porém, apesar de estar no grupo de risco, Jaimuay começou a se sentir melhor três dias depois de ser internada. Nove dias depois, ela recebeu alta e pôde voltar para casa. A filha da mulher, Krittika Sae-ung, diz que a família ficou muito preocupada a princípio, mas está muito feliz com o fim da infecção.

“Não sei como explicar, só posso dizer que somos muito sortudos. Me sinto muito feliz e animada”, afirma.

Últimas notícias