Anvisa diz que ainda faltam dados para registro da vacina de Oxford

Apesar do pedido da Fiocruz para a fórmula ter sido realizado antes do da Pfizer, agência reguladora ainda não completou análise

atualizado 23/02/2021 22:17

vacina de oxford/astrazenecaDanny Lawson/PA Images/GettyImages

De acordo com Gustavo Mendes, gerente-geral de medicamentos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o processo de registro da vacina de Oxford/AstraZeneca junto ao órgão ainda depende da resposta de algumas exigências. A explicação foi feita durante entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (23/2).

Apesar de o pedido ter sido feito antes do da Pfizer/BioNTech, Mendes explica que o processo da AstraZeneca precisa de mais ajustes e informações. “Já era esperado um tempo maior de análise, até por parte da empresa. Fizemos reunião com eles na semana passada e ainda faltam algumas informações para prosseguir com o processo”, diz.

Como a vacina de Oxford será fabricada no Brasil no futuro, a empresa precisa enviar informações sobre os lotes a serem feitos aqui. O órgão tem até 60 dias para terminar a análise.

Decisão do STF

O gerente-geral evitou entrar no mérito “jurídico e político” da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de autorizar estados e municípios a comprarem vacinas contra a Covid-19 sem autorização da Anvisa. Na tarde desta terça-feira, a corte autorizou a compra direta de imunizantes pelas unidades federativas caso as fórmulas tenham registro em outros países e a agência reguladora não termine a análise em 72 horas.

“Defendemos que precisamos de um prazo mínimo para fazer uma análise com critérios usados por outras agências reguladoras. Não é porque queremos ser criteriosos ou burocráticos, estamos sensíveis à pandemia, mas existem questões específicas para o nosso país que precisam ser endereçadas. Se não houver um prazo mínimo para análise, não tivermos os dados para tomar uma decisão, como nos responsabilizar pelo produto?”, questiona.

Suzie Marie Teixeira Gomes, gerente-geral de Monitoramento de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária, explica que a agência precisa conhecer o que está sendo aplicado na população, uma vez que é uma das responsáveis pelo monitoramento e pela adoção de medidas para garantir a saúde.

Veja, na galeria, como cada tipo de vacina funciona:

0

Últimas notícias