Zelensky sobrevive a três tentativas de assassinato em uma semana

Duas equipes foram enviadas para matar Zelensky – mercenários do grupo Wagner, apoiado pelo Kremlin, e forças especiais chechenas

atualizado 04/03/2022 18:48

Volodymyr Zelensky Reprodução/Telegram

O secretário de Segurança e Defesa Nacional da Ucrânia, Oleksii Danilov, confirmou que o presidente Volodymyr Zelensky sobreviveu a ao menos três tentativas de assassinato na semana passada.

Duas equipes foram enviadas para matar o presidente ucraniano – mercenários do grupo Wagner, apoiado pelo Kremlin, e forças especiais chechenas.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
Publicidade do parceiro Metrópoles 7
0

Segundo reportagem do jornal The Times, ambos os ataques foram frustrados por membros antiguerra dentro do Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) – sucessor da antiga KGB. Eles alertaram os funcionários da Ucrânia.

“Posso dizer que recebemos informações do [Serviço Federal de Segurança da Rússia], que não quer participar desta guerra sangrenta”, disse Danilov a emissoras de TV locais.

Lista com 24 nomes

Os mercenários Wagner em Kiev sofreram perdas durante suas tentativas e dizem que ficaram alarmados com a precisão com que os ucranianos anteciparam seus movimentos. Uma fonte próxima ao grupo disse que era “estranho” quão bem informada a equipe de segurança de Zelensky parecia estar.

De acordo com o jornal, o Grupo Wagner – que tem 400 membros localizados em Kiev – se infiltrou na Ucrânia com uma “lista de assassinatos” de 24 nomes. Se a tentativa fosse bem-sucedida, o presidente russo, Vladimir Putin, poderia negar qualquer envolvimento.

Alguns dias atrás, os agentes altamente treinados estariam esperando luz verde do Kremlin para atacar. A lista incluia, além de Zelensky, o primeiro-ministro da Ucrânia, todo o gabinete, o prefeito de Kiev, Vitali Klitschko, e seu irmão Wladimir – ambos campeões de boxe que se tornaram figuras icônicas nas linhas de frente da capital.

O plano foi sabotado depois que a informação chegou aos altos escalões do governo ucraniano, na manhã de sábado (26/2), e levou Kiev a declarar toque de recolher de 36 horas, ordenando que todos ficassem dentro de casa para que os soldados pudessem varrer as ruas em busca de sabotadores russos.

Mais lidas
Últimas notícias