metropoles.com

Suspeita de mandar matar Kirchner a advogados: “Estraguei minha vida?”

A pergunta teria sido feita durante interrogatório. Brenda Uliarte é namorada do brasileiro que tentou atirar na vice-presidente argentina

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução/YouTube
Brenda Uliarte é namorada do brasileiro que tentou matar Cristina Kirchner
1 de 1 Brenda Uliarte é namorada do brasileiro que tentou matar Cristina Kirchner - Foto: Reprodução/YouTube

Brenda Uliarte, suspeita de participar do ataque à vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, teria questionado aos advogados se “estragou a sua vida”, durante depoimento feito à juíza María Eugenia Capuchetti, responsável pelo caso.

A mulher é namorada de Fernando Andrés Sabag Montiel, brasileiro que tentou matar Kirchner no último 1° de setembro. A polícia trabalha com a suspeita de que o atentado foi premeditado e Uliarte é tida como principal responsável por arquitetar o crime.

De acordo com reportagem do jornal Clarin, ao ser perguntada sobre o dia do ataque, Brenda apenas questinou, após alguns segundos de silêncio: “Acabei com minha vida, né?”. A pergunta teria sido feita duas vezes durante o interrogatório. Ao decorrer das investigações, ela tem evitado falar sobre o caso.

Pessoas que tiveram contato com a acusada recentemente afirmam que ela “não consegue dimensionar a gravidade do ocorrido”. Presa desde o dia 4 de setembro, Brenda foi colocada em uma cela pequena e isolada, não conversa, não chorou, e nem questionou sobre a situação do namorado.

Nessa quarta-feira (14/9), foram divulgadas mensagens que teriam sido trocadas entre Brenda e uma amiga, chamada Agustina Díaz. “Mandei matar Cristina. Não deu certo porque ela entrou. Eu juro que senti raiva”, diz a jovem em uma das mensagens, indicando que a tentativa de atentado que falhou em 2 de setembro porque a arma não disparou não teria sido a primeira.

Ódio por Kirchner

Díaz também foi presa suspeita de participação no crime. Ela é amiga de Uliarte desde os 14 anos, e afirmou durante um interrogatório que a mandante tinha “ódio” da vice-presidente. Inicialmente, o investigador questionou a Díaz se ela poderia distinguir os conceitos de amor e ódio e pediu para classificar o sentimento da amiga em relação a Kirchner.

“Onde poderia colocar Brenda com a vice-presidente nesses conceitos?”, perguntou o interrogador e, prontamente, recebeu a resposta: “Ódio”.

Brenda Uliarte é investigada por tentativa de homocídio agravado por premeditação. Caso seja condenada, pode pegar até dez anos de prisão.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?