Rússia ataca Kiev com dois mísseis durante visita de líder da ONU

Secretário-geral da organização, António Guterres já conversou com Putin e Zelensky, e tenta negociar a liberação de civis de Mariupol

atualizado 28/04/2022 17:42

Antonio Guterres secretário geral da ONU em Mariupol Andre Luis Alves/Anadolu Agency via Getty Images

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, está em visita à Ucrânia, conhecendo regiões atingidas pela invasão russa em curso no país. Durante a agenda de Guterres na capital, Kiev, autoridades ucranianas denunciaram bombardeio russo.

Dois mísseis de cruzeiro teriam atingido a região oeste da cidade na noite desta quinta-feira (28/4), no horário local. Poucas horas antes, Guterres visitou a área para conhecer espaços onde os ucranianos encontraram corpos de civis depois da retirada das tropas do Kremlin.

Um dia antes, o secretário-geral da ONU esteve com o presidente russo, Vladimir Putin. “No dia anterior, ele estava sentado em uma longa mesa no Kremlin, e hoje as explosões estão acima de sua cabeça. Cartão-postal de Moscou?”, provocou Mykhailo Podolyak, conselheiro de Zelensky.

O ministro da Defesa ucraniano, Oleksii Reznikov, foi outra autoridade que destacou a investida russa. “Este é um ataque à segurança do secretário-geral e à segurança mundial”, definiu.

Liberação de civis em Mariupol

Guterres prometeu negociar a retirada de civis da fábrica de Azovstal, o último reduto dos combatentes ucranianos em Mariupol. Agora reduzida a ruínas, a localidade era habitada por mais de 400 mil pessoas, e tornou-se uma cidade fantasma.

O representante das Nações Unidas salientou que é preciso negociar condições seguras e ter a confiança de que o acordo será honrado. “O nosso objetivo é sexta-feira (29/4). Mas não posso garantir, porque estamos ainda a discutir as modalidades”, frisou.

Antes de chegar a Kiev, Guterres esteve em Moscou. Terminou sem avanço a reunião realizada na terça-feira (26/4) entre ele e o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

Guterres disse a Lavrov que a invasão da Ucrânia é uma violação da integridade territorial e vai contra a carta das Nações Unidas. “Ficou claro que existem duas posições diferentes sobre o que está acontecendo na Ucrânia“, reclamou o chefe da ONU.

Para a Rússia, o que está acontecendo é uma “operação militar especial” para combater “nacionalistas neonazistas”.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias