O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmou nesta terça-feira (5/2) que o Brasil avalia a forma de disponibilizar ajuda humanitária à Venezuela.

“Nós estamos criando um processo de coordenação lá em Brasília para ver exatamente como seria a logística, como nós poderíamos ajudar com essa questão do trânsito da ajuda humanitária e da disponibilização da ajuda humanitária como parte também do nosso esforço de consolidar o processo de transição democrática”, afirmou nesta tarde em Washington, sem responder se a ajuda humanitária à Venezuela pode entrar pela fronteira com o Brasil.

Ele descartou, contudo, a possibilidade de receber tropas americanas em território brasileiro para trabalhar na abertura de um canal de apoio à população do país vizinho. “Qualquer que seja a maneira de fazer chegar ajuda humanitária temos certeza que não é necessário ter tropas americanas ou de outro país, nós teríamos condições de proporcionar a logística para isso com nossos próprios meios”, afirmou Araújo.

A ajuda humanitária à Venezuela tem sido oferecida pela comunidade internacional desde o reconhecimento de Juan Guaidó como presidente interino, frente à crescente pressão doméstica e internacional pela saída de Nicolás Maduro do poder e a convocação de eleições presidenciais.