Opep e aliados decidem cortar produção de petróleo; preço sobe

A medida reverte o aumento da fabricação no mês de setembro, pedido feito pelo presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden

atualizado 05/09/2022 14:17

Reprodução/Agência Brasil

Os países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) anunciaram, nesta segunda-feira (5/9), a decisão de reduzir a produção de petróleo em outubro.

Oos representantes dos 13 membros da Opep e seus dez aliados concordaram em voltar às cotas para o mês de agosto, ou seja, uma redução de 100 mil barris por dia, o equivalente a 0,1% da demanda global pelo óleo. Será o primeiro corte em mais de um ano.

A medida reverte o aumento da produção no mês de setembro, feito a pedido do presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden. O apelo do democrata era para conter um novo avanço de preços.

A mudança pode impactar as taxas de inflação de diversos países, que também terão de lidar com uma crise energética causada pela chegada do inverno.

Após o anúncio da redução, os preços das duas referências mundiais de petróleo subiram mais de 3%, para US$ 96,40 (R$ 500) o barril do Brent do Mar do Norte e US$ 89,80 (R$ 466) o de WTI.

Mas a decisão ainda pode ser revista pelos membros da Opep, que têm uma reunião marcada com aliados no dia 5 de outubro.

Mais lidas
Últimas notícias