BC da Rússia diz que economia russa se “alterou dramaticamente”

Presidente do Banco Central russo teve reunião emergencial com autoridades monetárias para discutir novas medidas de proteção da economia

atualizado 01/03/2022 11:40

Moeda russa teve nova queda histórica. Em foto, uma mão segura algumas cédulas da moeda - MetrópolesGetty Images

A presidente do Banco Central da Rússia, Elvira Nabiullina, afirmou, nessa segunda-feira (28/2), que a situação da economia russa se “alterou dramaticamente”, após mais um dia de sanções contra o país.

A declaração foi feita depois de uma reunião emergencial entre autoridades monetárias para discutir novas medidas de proteção da economia. O rublo terminou a segunda-feira cotado a 101,40 unidades por dólar, após queda de 20%, e a Bolsa de Moscou permaneceu fechada para impedir um dia ainda mais desastroso para a economia. Nesta terça-feira (1º/3), a bolsa continuará fechada.

Ainda na segunda-feira, o BC russo dobrou a taxa de juros de 9,5% para 20% e ordenou que as empresas vendessem 80% de suas reservas em moedas estrangeiras. Também liberou US$ 7 bilhões em reservas separadas como garantia para empréstimos. A economia, no entanto, não respondeu conforme o esperado.

O Sberbank Europe, subsidiária austríaca do maior banco da Rússia, “está falindo ou deve falir” por causa de saques em massa, de acordo com um comunicado do Banco Central Europeu.

Elvira Nabiullina voltou a frisar que vai “usar as ferramentas necessárias com muita flexibilidade” para lidar com “a situação totalmente anormal”. Segundo ela, o BC russo está em comunicação constante com as instituições financeiras e pronto para “tomar todas as medidas necessárias” no sentido de dar suporte aos bancos.

“Em particular, nós já acionamos uma série de flexibilizações regulatórias e monitoraremos mais necessidades dos bancos em mecanismos que suportariam suas operações dentro das novas condições”, disse a presidente do BC russo.

Para evitar impacto ainda maior em bancos e empresas nacionais, o Kremlin ainda proibiu pagamentos em moeda estrangeira em contratos de empréstimo a não residentes no país. Além disso, pagamentos para instituições financeiras estrangeiras foram barrados.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
0

Banimento do Swift

Elvira Nabiullina ainda comentou o recente banimento de bancos russos do principal sistema bancário global, conhecido pela sigla Swift, dizendo que a Rússia tem como usar sistemas alternativos.

Sem essa tecnologia, os russos ficam impossibilitados de receber dinheiro de fora do país, bem como enviar para o exterior. Isso dificulta negociações internacionais, como de importação e exportação.

Além de instituições financeiras privadas, o Banco Central da Rússia ficou proibido de acessar suas reservas internacionais e de liquidar ativos, anunciou a Comissão Europeia.

Por enquanto, o país ainda contará com a venda das principais exportações russas, energia e grãos, que não sofreram sanções. Em janeiro, a Rússia teve superávit de US$ 21,4 bilhões, na maior parte do lucro com a venda de petróleo, gás, grãos e minérios.

Mais lidas
Últimas notícias