DF: uso do transporte público cai 71% desde início da quarentena

Pesquisa da Codeplan mostra as variações na movimentação de passageiros em ônibus e metrô do dia 10 de março até 14 de abril

atualizado 17/04/2020 10:28

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O número de passageiros que usa o transporte público de Brasília caiu 71,33% desde quando o novo coronavírus foi classificado como pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O recorte leva em conta somente os números de usuários nos cinco dias úteis da semana, quando há maior fluxo de passageiros.

Levantamento da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan) mostra que, na semana do dia 10 de março, uma média de 1,4 milhão de pessoas usava ônibus e o metrô a cada cinco dias úteis. Pouco mais de um mês depois, em 14 de abril, esse número caiu para 413 mil passageiros.

As variações foram graduais. Quando o governo suspendeu somente as aulas das escolas, faculdades e universidades públicas e privadas, a quantidade de usuários caiu de 1,4 milhão para 1,1 milhão, na semana de 17 de março.

Quando tiveram início o ponto facultativo para servidores do GDF e o teletrabalho, a redução de pessoas nas ruas foi mais expressiva. Caiu de 1,4 milhão, na semana do dia 10 de março, para 541 mil passageiros, na semana de 24 de março. O período de menor número de pessoas nas ruas foi após o anúncio de que a quarentena seria prolongada.

Entre os dias 24 e 31 de março, somente 333,1 mil pessoas andavam de ônibus e Metrô na capital. Depois, os números começaram a subir.

Veja gráfico:

Pesquisa da Codeplan mostra queda de usuários em transporte público devido ao coronavírus

Mudança na curva

Se o gráfico do uso do transporte coletivo em dias de semana vinha caindo consideravelmente, quando o decreto de quarentena foi flexibilizado pelo GDF, com a reabertura de bancos, lojas de móveis, de eletrodomésticos e de óticas, cerca de 80 mil passageiros voltaram às suas rotinas. O número subiu de 333,1 para 413,2, em 14 de abril.

Todos os dados são feitos diariamente pela Codeplan para balizar as ações do governador Ibaneis Rocha (MDB). De acordo com os números, as medidas tomadas por ele até o momento têm surtido efeito. Nem a flexibilização foi capaz de aumentar substancialmente a quantidade de pessoas no transporte público.

“A Codeplan vem fazendo levantamentos para subsidiar as ações do GDF no combate à Covid-19. Algumas dessas ações falam da circulação de pessoas a fim de avaliar o impacto dos decretos”, afirmou a diretora de Estudos Urbanos e Ambientais da Codeplan, Renata Florentino.

Segundo ela, são avaliados os acessos ao transporte coletivo. “Os números têm como base quantas vezes a catraca gira, tanto para o Metrô quanto para os ônibus em circulação”, afirmou.

Mais lidas
Últimas notícias