Pós-temporal: escola fecha e Hospital de Base reagenda consultas

Colégio da rede pública teve três salas destelhadas, e parte da sala de quimioterapia da maior unidade de saúde do DF ficou alagada

atualizado 07/11/2019 19:55

CBMDF/Divulgação

As aulas no Centro de Ensino Fundamental (CEF) Queima Lençol, na zona rural de Sobradinho, permanecerão suspensas por 15 dias. O colégio da rede pública do DF, inaugurado em 2018, teve três salas destelhadas nesta quinta-feira (07/11/2019) devido a fortes ventos. O Corpo de Bombeiros foi acionado e ninguém se feriu.

De acordo com a Secretaria de Educação do Distrito Federal, após esse período de interdição, pelo menos um dos três blocos afetados devem voltar a funcionar. Todas as aulas perdidas serão repostas de forma que o calendário escolar seja cumprido.

A área técnica da pasta, juntamente com a Coordenação Regional de Ensino de Sobradinho, está verificando a melhor maneira de realocar todos os 676 estudantes do estabelecimento educacional durante o período de reparos na unidade. A rota do transporte escolar que atende esses alunos também será reorganizada. Nos próximos dias, a pasta ainda encaminhará psicólogos para atender os professores e os estudantes.

0
Fortes chuvas

Colégio Podion, da Asa Norte, foi outro a sofrer com as fortes chuvas. O teto não suportou o volume de água, que jorrou pelas luminárias.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou que as chuvas desta manhã corresponderam a 10% do que era previsto para todo o mês de novembro na capital. De acordo com o meteorologista Francisco de Assis, foram registrados 23 milímetros de precipitação no Sudoeste.

Em duas horas, choveu mais do que no mês de outubro inteiro. O local também sofreu com os ventos mais fortes do dia: 68 km/h. A chuva forte não atingiu somente o Plano Piloto. O órgão que monitora o clima no país também mostrou 17 mm no Gama, 14 mm em Planaltina e 5 mm na região PAD-DF.

Danos no Hospital de Base

O temporal também causou danos à estrutura do Hospital de Base (HBDF). A água se infiltrou pelo teto e alagou parte da sala de quimioterapia. Alguns pacientes que estavam no local foram retirados e encaminhados para o box de atendimento da Unidade de Hematologia.

Equipes de manutenção fizeram os reparos na parte do teto por onde vazava água. O HBDF divulgou uma nota informando que os pacientes que não foram atendidos devido ao problema terão consultas remarcadas.

Imagens feitas por usuários da unidade de saúde mostram a água escorrendo da rede elétrica por canaletas. Em outra filmagem, um balde é colocado para conter o vazamento.

Prevenção

A Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil, da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF), faz orientações à população. Cuidados e reparos em edificações e precauções em caso de desastres estão entre as dicas do órgão aos brasilienses.

Uma das medidas preventivas é a limpeza das calhas, o que favorece o escoamento da água da chuva e evita infiltrações nas partes elétricas e na estrutura da casa. “Antes de chover, costuma ventar muito, o que pode levar folhas e outros elementos para as calhas. É uma medida de baixo custo e simples, que previne grandes estragos”, explica o coordenador de Operações da Defesa Civil, o tenente-coronel Sinfrônio Lopes.

A fixação correta dos telhados é a principal forma de evitar os destelhamentos no período chuvoso. “Onde não há estrutura firme, uma alternativa é prender a telha no madeiramento com pinos de fixação. Mas é importante que o serviço seja realizado por um profissional habilitado, e jamais sejam colocados pesos, como pedras, para segurar o telhado”, reforça Lopes. (Com informações da Secretaria de Educação do Distrito Federal)

Últimas notícias