Depois de 4 dias fora do ar, site do TJDFT volta a funcionar nesta 4ª

Plataforma segue instável devido a ajustes que serão realizados. Polícia Civil investiga hackers que teriam derrubado o site

atualizado 03/08/2022 19:19

Site do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios TJDFT , sofre ataque hacker e fica fora do ar por precaução 5Deiviane Linhares/Metrópoles

Depois de quatro dias sem funcionar, o site do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) voltou a operar por volta das 18h30 desta quarta-feira (3/8). Portal estava fora do ar desde o último fim de semana devido a um ataque hacker à plataforma.

Até o momento, foram liberadas funções essenciais de 1ª e 2ª instâncias e a visualização de documentos. A Corte informou que o sistema ainda está instável por causa de eventuais ajustes.

Apesar do retorno, o expediente da Secretaria e dos Ofícios Judiciais do Tribunal segue suspenso até esta quinta-feira (4/8).

Durante a suspensão do expediente, o TJDFT funciona em sistema de plantão pelo Núcleo Permanente de Plantão Judicial (NUPLA) para atendimentos apenas de medidas urgentes, como habeas corpus, medidas protetivas e medidas que impliquem perecimento de direito, alimentos, entre outras. Em caso de dúvidas, entre em contato pelos telefones (61) 3103-7338 ou 99989-7254 ou pelo e-mail [email protected]

Ataque hacker

A Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC) investiga a tentativa de invasão ao portal. A coluna Na Mira, do Metrópoles, apurou que o ataque foi feito por um hacker, que tentou ter acesso aos bancos de dados da Corte.

Equipes da DRCC fizeram algumas diligências na segunda-feira (1º/8) e estão realizando investigações cibernéticas na tentativa de identificar de onde partiram os ataques. Segundo o tribunal, foi detectada “atividade maliciosa” durante a madrugada e o endereço eletrônico foi derrubado por precaução.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Manifestação

Momentos antes do retorno da plataforma, o presidente da Associação dos Magistrados do Distrito Federal e dos Territórios (Amagis), o juiz Carlos Martins Filho, se manifestou sobre a queda da plataforma.

“Quanto à suspensão das atividades, na verdade, os serviços do TJDFT estão sendo mantidos totalmente. Apenas num sistema de plantão. E o mais importante: em que pese a ação realizada, as bases de dados dos sistemas judiciais foram plenamente preservadas. A equipe técnica de TI do TJDFT é extremamente qualificada e agiu rapidamente.”

Mais lidas
Últimas notícias