Coronavírus: Saúde monitora médica do Hospital de Samambaia

Ela realizou exame e aguarda resultado. A profissional teve sintomas da doença ao ter contato com a irmã, que esteve no exterior

atualizado 16/03/2020 12:48

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal monitora uma médica que atende no Hospital Regional de Samambaia (HRSam). A profissional é investigada porque teve contato com sua irmã, que voltou recentemente da Europa, onde passou 19 dias.

As duas fizeram exame para coronavírus e aguardam o resultado. Elas estão em isolamento domiciliar. A informação foi dada pelo secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta sexta-feira (13/03), no Palácio do Buriti.

Okumoto também comentou a informação de que quatro vigilantes do Hran foram afastados pela empresa terceirizada que oferece o serviço por suspeita de coronavírus.

O chefe da pasta ainda anunciou que o Governo do Distrito Federal (GDF) vai publicar novo decreto para convocar mais profissionais de saúde que atuarão no combate ao Covid-19 na capital do país.

Ao todo, serão convocados 230 médicos temporários e 100 e enfermeiros.”Vamos chamar profissionais experientes, que já estavam aposentados e quem estava nas listas de espera”, disse Okumoto.

Os médicos serão chamados conforme prevê Medida Provisória do Governo Federal, em casos de calamidade. “Vamos chamar os profissionais nas nossas listas de concursos ou fazer contratação direta. Médicos aposentados ou antigos serão chamados no sentido de melhorar o atendimento aos pacientes com a expertise deles”, explicou o secretário

Esses profissionais receberão salário mensal igual ao do último chamamento público ou de acordo com a média do mercado salarial de Brasília.

Pelos cálculos do Palácio do Buriti, serão chamados 30 intensivistas, 20 pneumologistas, 20 infectologistas, 100 clínicos, 40 cirurgiões-gerais, 20 anestesistas e 20 traumatologistas.

Além de Osney, participaram da entrevista o vice-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF), Sérgio Costa; o diretor-presidente do Iges-DF, Francisco Araújo; o chefe da Casa Civil, Valdetário Monteiro; o secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Ricardo Tavares; e o infectologista da Secretaria de Saúde, Eduardo Hage.

Na mesa usada pelo grupo, além de copos d’água, estava um tubo de álcool em gel.

Temperatura

Eduardo Hage ponderou que especialistas observam como o Covid-19 se comportará no país. “Um outro lado ainda de muita incerteza é a temperatura. Se espera que haja comportamento do vírus diferente no hemisfério sul. Mas ainda não temos esse parâmetro. As estimativas que se têm, até o momento, são do Sudeste Asiático”, ressaltou.

Equipamentos

Na parte de equipamentos, também serão comprados novos materiais. Estão previstas a aquisição de 400 camas, 200 respiradores, 40 aparelhos de ultrassom, 200 monitores, 800 bombas de infusão e duas máquinas de tomografia.

“Vamos ampliar nossa capacidade de atendimento em relação ao coronavírus. Hoje, temos dois casos confirmados e um aguardando contraprova. Em casos de suspeita, teremos de fazer os exames em casa. A ideia é isolar ao máximo para que não tenha uma epidemia do DF”, afirmou o secretário adjunto de assistência à Saúde, Ricardo Tavares.

Decreto

Na quarta-feira (11/03), o governador Ibaneis Rocha (MDB) baixou decreto suspendendo, por cinco dias, aulas, eventos e shows no Distrito Federal. As medidas foram adotadas após a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarar pandemia do coronavírus.

Segundo a última atualização da plataforma on-line do Ministério da Saúde sobre o novo coronavírus, o DF tinha, até a tarde dessa quinta-feira (12/03), 82 casos suspeitos e dois confirmados. De acordo com a pasta, 44 pacientes tiveram diagnóstico descartado.

vice-presidente de Embaixadas e Consulados do Flamengo, Maurício Gomes de Mattos, foi internado em hospital particular da Asa Sul e teve teste positivo para Covid-19 nessa quinta-feira. Ainda falta a contraprova para confirmação da doença.

Mais lidas
Últimas notícias