Coronavírus: demitidos, recém-casados fazem marmitas para driblar a crise

Ana Luisa e Davi se casaram há dois meses e perderam os empregos no início da pandemia. Usaram a formação profissional para se reinventar

Material cedido ao Metrópoles

atualizado 04/05/2020 0:03

Logo no início da pandemia do novo coronavírus, Ana Luisa e Davi Moraes, ambos de 24 anos, receberam a tão temida notícia: foram demitidos. Situação pior ainda porque os dois se casaram há dois meses. Entretanto, eles seguiram a cartilha e aproveitaram a crise para criar uma oportunidade.

Ana é nutricionista. Davi, publicitário. Quando se viram sem emprego – ele ainda cumpre aviso prévio –, resolveram buscar no setor de alimentação uma saída. E recorreram à alternativa do delivery de comida.

O casal resolveu trabalhar na Quiosque da Vovó, empreendimento do avô de Ana que estava inativo. Havia o problema de não poderem contar com funcionários, tanto por causa da quarentena como por causa da falta de dinheiro. Não foi motivo para desânimo: o casal de desdobra para conseguir produzir e fazer as entregas.

Confira um vídeo dos dois explicando a situação:

“Eu e minha mães fazemos a comida. Já meu marido (Davi) cuida da publicidade da comida e faz as entregas. Estamos conseguindo vender cerca de 20 marmitas por dia, o que é muito nessa crise. E assim vamos sobrevivendo”, explica a nutricionista.

O casal faz entregas em Águas Claras, Asa Sul e no Guará. O cardápio e a higienização ficam por conta de Ana. “Toda parte sanitária é comigo. Lavo bem todos os alimentos e temos o maior cuidado para fazer a comida”, completou.

Por enquanto, os dois consideram que a iniciativa é temporária, até que se recoloquem no mercado. O mais importante, porém, foi criar uma solução.

Ana completou que a experiência demonstra a importância de sempre ter força de vontade e perseverança. “Ficar parado não é uma opção. Temos que correr atrás do que queremos. Todo momento é um aprendizado em nossas vidas”, finaliza.

Últimas notícias