Conteúdo especial

Por que Jaron Lanier, de O Dilema das Redes, defende recriar a internet?

O cientista da computação é uma das principais atrações do  Sebrae Inova Digital, evento on-line gratuito que ocorre de 12 a 14 de novembro

atualizado 10/11/2020 18:10

O cientista da computação Jaron Lanier é uma das principais atrações do Sebrae Inova Digital, evento on-line gratuito que ocorre de 12 a 14 de novembro em Brasília. Entusiasta da internet, ele é conhecido entre os profissionais ligados à tecnologia da informação por ter contribuído na criação do protocolo da rede mundial de computadores e é considerado uma das mentes mais brilhantes do Vale do Silício.

No entanto, Lanier chamou mesmo a atenção do grande público quando trouxe à tona uma reflexão proposta no documentário O Dilema das Redes Sociais, lançado neste ano na Netflix. No filme, grandes nomes do mundo da tecnologia fazem um alerta sobre o impacto devastador que as redes sociais podem ter sobre a democracia e a humanidade. Para ele, a solução é uma só: recriar a internet.

O cientista defende uma mudança severa no modelo de negócios que sustenta a rede mundial de computadores, o da publicidade. “Esse foi um erro cometido lá no início quando se tinha a ideia de que tudo na internet deveria ser disponibilizado gratuitamente”, afirmou Lanier durante palestra ministrada na plataforma TED.

Autor de seis livros, Lanier acredita que o modelo atual torna os usuários verdadeiras marionetes, impelidas a ter comportamentos específicos, baseados em estímulos de recompensa e punição – como descrito pela teoria behaviorista pensada por John B. Watson.

Existe algo chamado Lei de Moore, que torna os computadores e os algoritmos cada vez mais eficientes. O que começou como publicidade não pode mais ser chamado assim. Isso se tornou um império de modificação de comportamentos.

Jaron Lanier, filósofo e cientista da computação

Segundo Lanier, o algoritmo capta os parâmetros perfeitos para manipular o cérebro, enquanto o cérebro, para encontrar um significado mais profundo, está mudando as respostas aos experimentos do algoritmo. “Dessa forma, já que o estímulo não significa nada para o algoritmo, pois é genuinamente aleatório, o cérebro não está respondendo a algo real, mas sim a uma ficção. Esse processo causa dependência”.

O cientista acredita que a solução seria mudar o modelo de negócios dos dois principais impérios do mundo digital: Google e Facebook. Na avaliação dele, uma boa saída seria a criação de um sistema em que as pessoas possam ser monetizadas pelo que fazem on-line e paguem pelo que gostam de fazer na internet, como usar redes sociais ou realizar buscas em um site. Isso, de acordo com Lanier, tornaria a relação entre usuários e empresas mais direta e honesta.

Para provar a tese, ele cita como exemplos positivos o modelo de assinaturas criado pela Netflix e HBO, que reduziu drasticamente o problema de pirataria. “Não podemos ter uma sociedade na qual, se duas pessoas precisam se comunicar, a única forma de isso acontecer seja por meio do financiamento de uma terceira pessoa que deseja manipulá-las”, ressalta.

Para promover o acesso a internautas que não dispõem de recursos financeiros, o pensador sugere a criação de acervos de conteúdos públicos, tal como feito com os livros de papel por meio das bibliotecas.

Enquanto o modelo de financiamento do “império de modificação de comportamento” permanece d0 jeito que temos atualmente, Lanier não hesita e pede aos usuários: “deletem suas contas”.

Sebrae Inova Digital

O evento vai reunir as principais autoridades nacionais e internacionais para discutir temas como empreendedorismo, marketing digital, proteção de dados e tendências. A iniciativa é gratuita e a transmissão irá ocorrer totalmente por meio digital.

A programação também conta com a participação de Brittany Kaiser, ex-diretora da empresa e protagonista do documentário Privacidade Hackeada; do empresário Flávio Augusto (Wise Up e Orlando City Soccer Club); do autor do livro Seja Foda, Caio Carneiro; do cofundador da Resultados Digitais, André Siqueira; da primeira influenciadora digital de moda brasileira, Camila Coutinho; do fundador da marca Reserva, Rony Meisier; do professor Clóvis de Barros Filho; e do chefe de e-commerce da fabricante chinesa Xiaomi para América Latina, In Hsieh; entre outras personalidades.

As inscrições são limitadas e podem ser feitas na página do Sebrae Inova Digital. Por lá é possível conferir toda a programação, bem como a lista de palestras que serão realizadas com conteúdos complementares, como storytelling, copywriting, inbound marketing, entre outros.