Concurso PRF: aumenta expectativa para autorização de 4 mil vagas

A maioria seria para nível superior, segundo sindicato. Remuneração inicial é de R$ 10 mil

PRF/ReproduçãoPRF/Reprodução

atualizado 14/01/2020 11:50

O novo concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF) segue em pauta. O órgão aguarda autorização do Ministério da Economia para realizar novo certame para o preenchimento de 4.435 vagas, sendo 4.360 destinadas ao cargo de policial rodoviário federal, que pede nível superior para ingresso, e 75 para a carreira de agente administrativo, para quem possui ensino médio.

Porém, de acordo com o presidente da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF), Deolindo Carniel, a instituição conta com uma promessa do governo de promover novos certames para a instituição anualmente até 2022, com oferta de mil vagas cada.

Caso isso se concretize, o total solicitado pode ser dividido por vários editais. Segundo o sindicalista, o objetivo é contar com 13.098 policiais rodoviários até o fim do mandato de Jair Bolsonaro.

Vale lembrar que o diretor-geral da corporação, Adriano Furtado, também afirmou, no final de 2019, que pretende ter o quadro completo de servidores preenchido até 2022. “O objetivo, a meta e todo o empenho nosso vai ser para chegar ao final de 2022 com o quadro de servidores legais completo”, disse.

O que se pede

Os interessados em ingressar na carreira de policial rodoviário federal devem possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria B.

A remuneração inicial do cargo é de R$ 10.357,88, considerando o auxílio-alimentação de R$ 458,00. No caso do cargo de agente administrativo, o inicial é de R$ 4.022,77, incluindo o auxílio-alimentação, também com 40 horas semanais.

O último edital do concurso PRF para policial rodoviário federal, realizado em 2018, contou com uma oferta de 500 vagas, sendo organizado pelo Cespe, atual Cebraspe.

A seleção contou com provas objetivas, dissertativas, exames de capacidade física, exames de saúde, avaliação psicológica, análise de títulos, investigação social e curso de formação.

A parte objetiva contou com 120 itens, versando sobre língua portuguesa, raciocínio lógico-matemático, informática, noções de física, ética no serviço público, geopolítica brasileira, legislação de trânsito, noções de direito administrativo, noções de direito constitucional, noções de direito penal e processual penal, legislação especial e direitos humanos e cidadania.

No caso de agente administrativo, o último concurso PRF foi em 2014, sendo organizado pela Funcab. A prova objetiva contou com 60 questões, sendo 12 de língua portuguesa (com peso dois), 6 de ética e conduta pública (1), 6 de raciocínio lógico (1), 6 de noções de direito constitucional (1,5), 6 de direito administrativo (1,5), 6 de noções de administração (1,5), 6 de noções de arquivologia (1,5), 6 de noções de informática (1,5) e 6 de legislação relativa à PRF (1,5). O concurso também contou com perícia médica e investigação social

Últimas notícias