Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Flávio e Eduardo Bolsonaro defendem Tereza Cristina de vice do pai

A ideia de uma mulher ser a vice de Bolsonaro voltou a ganhar tração em meio ao pessimismo na campanha de reeleição

atualizado 16/06/2022 10:18

Bolsonaro e Tereza Cristina, ministra da Agricultura, sentam-se juntos em evento no Planalto. Ela usa óculos, tem cabelos curtos e loiros. Ele usa terno e gravata, camiseta clara. Ambos olham seriamente para frente - MetrópolesIsac Nóbrega/PR

A articulação do Centrão para que Jair Bolsonaro aceite indicar a ex-ministra Tereza Cristina em sua vice, no lugar do general Walter Braga Netto, conta com o apoio do senador Flávio Bolsonaro e do deputado Eduardo Bolsonaro. O plano do grupo é que os filhos do presidente atuem para quebrar as resistência do pai à proposta.

A ideia de uma mulher ser a vice de Bolsonaro voltou a ganhar tração em meio ao pessimismo na campanha de reeleição, diante do risco de derrota no primeiro turno para Lula. Além de diminuir a rejeição de Bolsonaro entre as mulheres, o Centrão defende que o presidente não ganharia nenhum voto novo entre militares por ter Braga Netto na vice.

Entre os líderes do Centrão, o temor está na atuação de outro filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro. O receio é que o responsável pelo marketing da campanha rejeite as negociações e peça que o pai faça o mesmo.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna