Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Dermatologista desvenda como fortalecer e tratar manchas das unhas

A médica Adriana Vilarinho explica por que as nossas "garras" costumam quebrar, como evitar esse problema e o que fazer para tratar manchas

atualizado 01/06/2021 12:52

Você já parou para pensar em como as unhas das nossas mãos e pés são formadas? Interessada em saber mais sobre as garras que embelezam o nosso corpo, a coluna Claudia Meireles conversou com a dermatologista Adriana Vilarinho a respeito da problemática quebra das unhas, sob uma perspectiva dermatológica. Como fortalecer e resolver a questão das manchas aparentes? Ela tira essa e outras dúvidas, além de esclarecer mitos e verdades que ouvimos por aí.

Lixar as unhas
Dicas para unhas

Inicialmente, a médica explicou que o aparelho ungueal (nome técnico dado à unha) é derivado de uma região embrionária chamada ectoderme, e é composto por matriz, leito, lâmina ungueal e dobras ungueais. “A matriz é responsável pela formação da lâmina ungueal e possui como principal função a proteção das extremidades dos dedos das mãos e dos pés, bem como a atuação na manipulação de pequenos objetos, além de exercerem função estética”, diz a profissional.

Ilustração - Anatomia da Unha cópia
Ilustração mostra como é a anatomia da unha
Por que elas quebram?

Questionada sobre a verdadeira razão pela qual as nossas garras se quebram, Adriana Vilarinho responde que a lâmina ungueal é um anexo composto por queratina, e sua flexibilidade se deve à presença de fosfolipídios. A dureza, por outro lado, existe devido ao alto teor de enxofre, presente na composição da lâmina ungueal na forma do aminoácido cisteína.

“As unhas frágeis e quebradiças são, em geral, secundárias à desidratação da unha ou pelo uso crônico de removedores de esmaltes. Além disso, podem ser sinal de doença dermatológica, sistêmica ou ser de causa idiopática (sem causa aparente)”, informa.

“Sempre que possível, a pessoa deve fazer investigações específicas para disfunção tireoidiana, renal ou hepática”

Adriana Vilarinho
Manicure fazendo as unhas de cliente
Unhas bem cuidadas exigem atenção específica
Como prosseguir?

O tratamento básico, sugere a médica, é a prevenção e proteção das causas de desidratação da lâmina. Segundo ela, uma das alternativas é eliminar, se possível, agentes químicos associados que podem levar à desidratação e, consequentemente, à quebra das unhas. “Evitar o uso de agentes detergentes e que tenham veículos alcoólicos também ajuda a diminuir os riscos de fratura da lâmina ungueal pelo ressecamento”, ensina a dermatologista.

Outra recomendação dada pela profissional é a suplementação de biotina. Também conhecida como vitamina B7, a biotina funciona como uma coenzima no metabolismo das purinas e dos carboidratos. Ela atua na formação da pele, unhas e cabelo, na utilização dos hidratos de carbono e na síntese de ácidos graxos. Essa vitamina, inclusive, foi assunto na coluna como uma das opções para fazer o cabelo crescer e evitar a queda capilar. As dermatologistas Karla Lessa e Luciana Passoni deram suas opiniões sobre a eficácia.

Unhas esmalte
Profissional recomenda a suplementação de biotina

Afinal, existem pequenos truques que ajudam no fortalecimento das garras? Para Vilarinho, sim. Ela indica emergir os dedos em água por 10 minutos à noite e, a seguir, aplicar substâncias emolientes, ácido hialurônico ou alfa-hidroxiácidos (ácido lático, óleo mineral, vaselina, ureia).

De olho nas manchas

De acordo com a especialista, existem inúmeras causas de manchas das unhas, por exemplo as doenças sistêmicas, causadas por medicamentos, e até mesmo o melanoma, um tipo de câncer de pele. “O ideal é passar em consulta médica para um diagnóstico correto”, destaca.

Vale estar atento ao uso contínuo de esmaltes, algo que, segundo a expert, pode provocar fragilidade pelo efeito desidratante dos solventes utilizados para remover o esmalte. “A aplicação constante de esmalte pode, ainda, provocar uma granulação dos extratos mais superficiais da lâmina, formando manchas brancas e descamação”, comenta. “Então, devemos sempre manter o uso constante de agentes emolientes e, se possível, evitar o uso contínuo de esmaltes”, acrescenta.

Esmaltação
É verdade que as garras precisam respirar?

Na visão de Adriana, as unhas não possuem poros e não precisam “respirar”, o que muitos acreditam até hoje. Ela esclarece que a placa ungueal é composta por fibras de queratina embebidas em material rico em enxofre. Portanto, sua estrutura conta com células achatadas e fortemente agrupadas.

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Últimas notícias