Filho de Odilon Aires será comandante das administrações regionais

O advogado é primogênito do ex-distrital e presidiu o MDB-DF durante a licença do titular da sigla, Tadeu Filippelli, que tentava se eleger

Reprodução/Facebook

atualizado 22/11/2018 6:42

Na gestão do governador eleito Ibaneis Rocha (MDB), o comando das administrações regionais ficará ligado diretamente ao futuro chefe da Casa Civil, Eumar Novacki. O nome escolhido para a função de coordenador é o do advogado Gustavo Aires, que presidiu o MDB local durante a campanha de Tadeu Filippelli, titular do cargo e que se licenciou para disputar a Câmara dos Deputados. O anúncio foi confirmado pela equipe da transição de Ibaneis.

Tida como função estratégica dentro da nova gestão, a coordenadoria ficará diretamente responsável por encontrar uma solução para as eleições das administrações regionais. Bandeira de campanha do emedebista, a promessa tem antecipado campanhas entre lideranças comunitárias interessadas em constar nas listas tríplices que serão entregues ao próximo governador.

Aires tem experiência quando o assunto é o diálogo. Conduziu o partido do governador eleito durante a crise que rachou a coligação após a desistência do ex-secretário de Saúde Jofran Frejat (PR) de concorrer ao Buriti. Embora com feridas, a sigla conseguiu se reerguer, até viabilizar a candidatura vitoriosa de Ibaneis Rocha. O nome é referendado também por Filippelli, já que o advogado é filho do ex-deputado Odilon Aires (MDB), um dos históricos aliados do ex-vice-governador do DF.

Alvo de disputa
Na atual gestão, a área foi controversa. Na primeira fase do governo de Rodrigo Rollemberg (PSB), as administrações foram entregues ao vice-governador, Renato Santana (PSD). Após rompimento entre os dois principais nomes do Palácio do Buriti, o socialista exonerou o companheiro de chapa e as cidades foram loteadas em troca de apoio de deputados distritais e lideranças políticas.

Últimas notícias